PUBLICIDADE
Topo

Advogado do primeiro-ministro israelense será indiciado por lavagem de dinheiro

Reprodução de vídeo
Imagem: Reprodução de vídeo

05/12/2019 11h29

A justiça israelense anunciou nesta quinta-feira a intenção de indiciar o advogado do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu por lavagem de dinheiro, na compra de submarinos militares da companhia alemã Thyssenkrupp.

Em comunicado, o ministério da Justiça também anunciou que o procurador pretende indiciar o empresário que atuava como representante da empresa alemã em Israel e o ex-chefe da Marina israelense, por corrupção nesse caso.

O procurador Avichai Mandelblit anunciou há duas semanas o indiciamento de Netanyahu por "corrupção", "desvio de dinheiro" e "abuso de poder" em três casos diferentes.

Nesta quinta-feira, a justiça israelense anunciou sua intenção de indiciar várias personalidades, entre elas o advogado de Netanyahu, David Shimron, o empresário Michael Ganor, e o antigo número um da Marinha, Eliezer Marom, em outro caso, o chamado Dossiê "3000".

O procurador-geral "decidiu iniciar ações judiciais contra Michael Ganor, agente da ThyssenKrupp em Israel; Eliezer Marom, ex-chefe da Marinha israelense; David Sheran, ex-chefe de gabinete do primeiro-ministro; Eliezer Zandberg, ex-ministro, o advogado David Shimron (...)", informou o ministério em comunicado.

No caso "3000", a polícia israelense investigou as suspeitas de corrupção em torno da venda pela Alemanha a Israel de submarinos militares e outros navios criados pela ThyssenKrupp, pela quantia total de aproximadamente 2 bilhões de dólares.

Internacional