PUBLICIDADE
Topo

MPF denuncia ex-presidente do Paraguai por formação de quadrilha

Horacio Cartes, ex-presidente do Paraguai - Eric Piermont/AFP
Horacio Cartes, ex-presidente do Paraguai Imagem: Eric Piermont/AFP

20/12/2019 16h24

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes por formação de organização especializada em lavagem de dinheiro, em mais uma etapa da investigação da Lava Jato, informou a instituição nesta sexta-feira.

Além de Cartes, outras 19 pessoas foram acusadas nesta etapa da Lava Jato, entre elas Dario Messer, considerado o "doleiro dos doleiros", que operava pelo menos desde os anos 2000 no Brasil, Uruguai e Paraguai, com a prática de câmbio ilegal e evasão de divisas.

Messer, que esteve foragido por 14 meses antes de ser preso em julho de São Paulo, é considerado o líder da rede de lavagem de dinheiro e estaria associado a Cartes, um rico empresário, de 64 anos, que governou o Paraguai entre 2013 e 2018.

O MPF afirma que Cartes ajudou Messer quando o doleiro estava foragido, transferindo 500 mil dólares "para seus gastos jurídicos", através de um amigo em comum.

Entre os 19 denunciados, há 11 brasileiros, sete paraguaios e um paraguaio naturalizado uruguaio.

A investigação identificou que mais de 34 milhões de dólares foram administrados pela rede: 14,6 milhões pelo uruguaio Najun Turner e 20 milhões pelo paraguaio Lucas Paredes.

Os promotores determinaram também que a ramificação da organização de Messer no Paraguai "era tão poderosa" que ocultou grandes somas de dinheiro e financiou sua fuga.

Em 29 de novembro, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou um pedido de prisão preventiva contra Cartes, que havia sido solicitada dez dias antes pelo Ministério Público no Rio de Janeiro.

A denúncia da promotoria obriga o presidente paraguaio a responder à justiça brasileira.

A Constituição do Paraguai estabelece que ex-presidentes se tornam senadores vitalícios com privilégios parlamentares. Para retirar a imunidade, é necessário um voto de dois terços do Senado.

O Senado paraguaio tem 45 integrantes e o partido governista Colorado, ao qual Cartes pertence, tem a maioria.

Internacional