PUBLICIDADE
Topo

Governo venezuelano considera inconsequente viagem ao exterior de Guaidó

20/01/2020 20h47

Caracas, 20 Jan 2020 (AFP) - O número dois do governo da Venezuela, Diosdado Cabello, considerou nesta segunda-feira (20) como "inconsequente" a viagem internacional realizada pelo líder da oposição Juan Guaidó, indicando que ele deve estar sendo repreendido pelos Estados Unidos, pois não conseguiu derrubar o presidente Nicolás Maduro.

"É absolutamente inconsequente, que um lacaio se encontre com seus mestres na Colômbia", disse Cabello na primeira reação do governo socialista após a viagem de Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por cinquenta países.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, e Guaidó se reuniram nesta segunda-feira por cerca de uma hora e 45 minutos durante uma conferência regional sobre a luta contra o terrorismo liderada pelo presidente colombiano Iván Duque em Bogotá.

"A repreensão (para Guaidó) deve ser monumental (...), um ano e não cumpriu absolutamente nada do que prometeu", ironizou o poderoso líder chavista sobre a campanha da oposição para depor Maduro, que conta com o apoio dos militares, Cuba, China e Rússia.

Infringindo uma proibição de deixar a Venezuela, o líder opositor viajou para Bogotá, onde no domingo foi recebido com honras oficiais por Duque no palácio do governo.

Durante sua viagem, Guaidó participará da 50ª edição do fórum econômico de Davos, na Suíça, e se encontrará com o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, em Bruxelas.

atm/axm/lp/lca

Notícias