PUBLICIDADE
Topo

Keiko Fujimori é transferida para prisão na qual já esteve presa

29/01/2020 18h15

Lima, 29 Jan 2020 (AFP) - A opositora peruana Keiko Fujimori foi transferida nesta quarta-feira (29) para uma prisão após passar a noite detida, em meio às expressões de apoio nas ruas de dezenas de partidários.

A primogênita do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000) foi levada à prisão feminina de Chorrillos, no sul de Lima, para cumprir os 15 meses de prisão preventiva após sentença recebida na última terça-feira pelo juiz Víctor Zúñiga.

Keiko, de 44 anos, faz parte do grupo de políticos investigados na operação Lava Jato, que também inclui quatro ex-presidentes peruanos.

Em uma ambulância do serviço penitenciário, escoltada por uma caravana de carros policiais e de imprensa, a líder opositora foi levada ao meio dia (às 14h no horário de Brasília) para a mesma prisão na qual permaneceu por 13 meses.

Keiko Fujimori foi presa menos de dois meses depois de ser liberada. O juiz Zúñiga pediu sua prisão preventiva ao receber uma solicitação do Ministério Público, que argumentou que haveria o risco de que ela deixasse o país.

"Isso não é justiça, isso é perseguição", disse Keiko em vídeo divulgado nas redes sociais minutos depois de ser detida.

Keiko, que foi candidata à presidência do Peru nas eleições de 2011 e 2016, nega todas as acusações do promotor José Domingo Pérez, inclusive de que fugiria do país.

cm/fj/yow/bn/mvv

Notícias