PUBLICIDADE
Topo

Soldado mata quase 20 pessoas a tiros na Tailândia

08/02/2020 14h48

Bangcoc, 8 Fev 2020 (AFP) - Um soldado tailandês matou pelo menos 17 pessoas a tiros, neste sábado (8), em Korat, uma cidade ao nordeste do país - anunciaram fontes médicas e policiais.

Outras 14 pessoas ficaram feridas, conforme um porta-voz do Erawan Center, de Bangcoc, um centro que coleta dados dos serviços de emergência de todo país.

Identificado como sargento Jakapanth Thomma, "o agressor usou uma metralhadora para disparar contra vítimas inocentes. Muitas delas morreram, ou ficaram feridas", relatou a polícia.

Cometido na cidade de Nakhon Ratchasima (nordeste), o ataque começou no fim da tarde contra quartéis do Exército, acrescentaram os policiais.

Três pessoas morreram, pelo menos um soldado entre elas, quando o suboficial Thomma abriu fogo.

Na sequência, o autor dos disparos "roubou um veículo militar e dirigiu para o shopping da cidade", disse o tenente-coronel da polícia, Mongkol Kuptasiri.

A imprensa local divulgou que o agressor conseguiu várias armas de um paiol do Exército antes de cometer o massacre no centro comercial da cidade. A polícia não confirmou esta informação.

O Ministério da Defesa anunciou que as forças de segurança cercaram o shopping Terminal 21, para onde o agressor havia fugido e onde um incêndio foi declarado, acrescentando que o suboficial ainda não foi preso.

A polícia informou que dezenas de pessoas aterrorizadas foram retiradas do shopping, na madrugada de domingo (hora local), e que assumiu o "controle" do primeiro piso do estabelecimento.

Na tentativa de evitar que o agressor se escondesse entre os clientes, os agentes pediram a todos que saíssem com as mãos para o alto e se identificassem antes de serem evacuados.

- Pânico em shopping lotadoImagens e vídeos publicados on-line mostravam cenas de pânico e pessoas fugindo apavoradas sob o barulho dos disparos de uma arma automática.

Nas redes sociais, o agressor publicou fotos e vídeos dele vestido de uniforme e disparando na cidade de Korat. Também publico mensagens em seu perfil no Facebook: "Devo me entregar?", ou "Ninguém pode escapar da morte".

Em um vídeo, que depois foi apagado, Thomma, que usa um capacete do Exército, gravava de dentro do veículo e dizia: "Estou cansado [...] estou cansado. Não consigo em apertar com o dedo", enquanto fazia gestos com o dedo, como se apertasse um gatilho.

Também foram publicadas fotos de um homem usando um balaclava e segurando uma pistola.

Uma testemunha que estava no shopping na hora do ataque contou à AFP que o lugar estava lotado.

"Hoje tinha muita gente no shopping", disse a testemunha, de 32 anos, que pediu para não ser identificada.

"Saí de lá um pouco antes" do início do ataque, completou.

A Tailândia é um dos países com maior percentual de pessoas com posse de armas do mundo, mas esse tipo de incidente, cometido por militares contra civis, é muito raro.

No final do ano passado, houve vários tiroteios nos tribunais, reforçando a atualidade do debate sobre o grande número de armas de fogo que circulam nesse país do Sudeste Asiático.

Outro caso gerou grande comoção na Tailândia, no mês passado, quando um homem mascarado assaltou uma joalheira e matou três pessoas. Entre elas estava um garoto de dois anos.

Notícias