PUBLICIDADE
Topo

Homens armados matam 22 pessoas, incluindo 14 crianças, em Camarões

Dylan Martinez - 28.jun.2013/Reuters
Imagem: Dylan Martinez - 28.jun.2013/Reuters

Em Yaoundé (Camarões)

16/02/2020 19h27Atualizada em 16/02/2020 20h08

Homens armados mataram na sexta-feira 22 pessoas, incluindo 14 crianças e mulheres, em um vilarejo de uma província povoada pela minoria de língua inglesa no noroeste de Camarões, informou a ONU neste domingo.

"Há um total de pelo menos 22 mortos, entre eles 14 crianças, incluindo 11 meninas e nove com menos de 5 anos, uma mãe grávida e duas mulheres que carregavam seus bebês", afirmou à AFP James Nunan, chefe do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) para as regiões noroeste e sudoeste do Camarões, as duas províncias de língua inglesa devastadas por três anos de conflito entre o exército e rebeldes separatistas.

O drama ocorreu na sexta-feira, por volta das 14 horas, na vila de Ntumbo, disse Nunan, cuja equipe reuniu "muitos testemunhos" para estabelecer esse balanço.

O Movimento pelo Renascimento de Camarões, um dos dois principais partidos da oposição, "condenou o massacre" de mulheres e crianças em um comunicado. "O regime ditatorial" e "o chefe supremo das forças de segurança e de defesa são os principais responsáveis por esses crimes", afirmou o partido.

Em sua página no Facebook, o advogado Agbor Mballa, um dos líderes da contestação e chefe de uma ONG de direitos humanos, condenou o "assassinato horrível" de "mulheres e crianças (. ..) pelas forças de defesa do Estado".

Notícias