PUBLICIDADE
Topo

Dissidente chinês detido por pedir a renúncia do presidente Xi pela epidemia de coronavírus

18/02/2020 06h01

Pequim, 18 Fev 2020 (AFP) - O dissidente chinês Xu Zhiyong foi detido depois de pedir a renúncia do presidente Xi Jinping, alegando entre os motivos a má gestão da epidemia do novo coronavírus, anunciou nesta terça-feira a organização Anistia Internacional (AI).

Xu Zhiyong, um militante anticorrupção, pediu em 4 de fevereiro a renúncia de Xi, a quem criticou pela má gestão da guerra comercial com os Estados Unidos, das manifestações em Hong Kong e da epidemia do novo coronavírus.

"Os suprimentos médicos são escassos, os hospitais estão sobrecarregados e muitas pessoas contaminadas não foram examinadas", denunciou Xu Zhiyong, que cumpriu uma pena de prisão de quatro anos entre 2013 e 2017.

Xu, que estava foragido desde dezembro, quando participou em um ato da oposição na cidade de Xiamen (sudeste), seguia criticando o governo nas redes sociais.

A epidemia gerou uma onda de críticas ao governo, acusado de reagir com atraso e de obstruir a liberdade de expressão.

A morte de um médico da cidade de Wuham, que foi interrogado pela polícia em dezembro depois de alertar sobre a epidemia, provocou uma revolta popular nas redes sociais.

"A guerra do governo chinês contra o coronavírus não o desviou de sua ofensiva generalizada contra as vozes dissidentes", afirmou a Anistia Internacional.

Xu Zhiyong foi detido em Cantão, sul do país, afirmou à AFP uma fonte que pediu anonimato.

A polícia de Cantão não respondeu as perguntas da AFP.

Hua Ze, uma amiga do dissidente que mora nos Estados Unidos, confirmou que não tem notícias de Xu desde sábado.

ewx/bar/bfi/zm/fp

Notícias