PUBLICIDADE
Topo

Morre de covid-19 o último sobrevivente da resistência espanhola ao nazismo

1.abr.2020 - Rafael Gómez Nieto, último sobrevivente de "La Nueve", resistência espanhola ao nazismo - Reprodução/YouTube
1.abr.2020 - Rafael Gómez Nieto, último sobrevivente de 'La Nueve', resistência espanhola ao nazismo Imagem: Reprodução/YouTube

01/04/2020 09h50Atualizada em 01/04/2020 16h16

Estrasburgo, França, 1 Abr 2020 (AFP) - Rafael Gómez Nieto, o último sobrevivente de "La Nueve", grupo de soldados republicanos espanhóis que liberaram Paris do nazismo em 1944, morreu ontem de covid-19 na França, segundo informou sua família.

Rafael Gómez Nieto, que vivia na cidade francesa de Lingolsheim e completaria 100 anos em janeiro do próximo ano, chegou a ser hospitalizado após ter testado positivo para o novo coronavírus, informou à AFP seu filho, Jean-Paul.

Apesar de sua idade avançada, Gómez Nieto estava são e "foi o coronavírus que interrompeu isso, como em muitas famílias", disse seu filho.

"Era o símbolo de 'La Nueve'. Com ele se vai uma parte da história da liberação de Paris e dos republicanos espanhóis", lamentou a historiadora Evelyn Mesquida, que mantinha contato regular com ele.

Rafael Gómez Nieto "conservava a força e a memória" e ainda fazia compras de carro há algumas semanas, contou.

Sua última aparição pública, disse, foi em 2017 para a inauguração de uma praça dedicada aos soldados de "La Nueve" em Madri, a qual atendeu "em nome de todos seus companheiros".

"La Nueve", a nona companhia da segunda divisão blindada francesa, integrada majoritariamente por espanhóis, foi a primeira a entrar na cidade e chegar ao Hotel de Ville de Paris, a prefeitura, em 24 de agosto de 1944, para liberar a capital francesa da ocupação alemã.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Coronavírus