PUBLICIDADE
Topo

Venezuela denuncia que navio português bateu em embarcação de sua frota

01/04/2020 13h33

Caracas, 1 Abr 2020 (AFP) - A Venezuela denunciou nesta terça-feira que um navio turístico com bandeira portuguesa bateu e afundou um navio de sua marinha, uma ação que o presidente Nicolás Maduro descreveu como um "ato de pirataria internacional".

A embarcação de passageiros Resolute, de 122 metros de comprimento, com a bandeira portuguesa, colidiu nas águas territoriais da Venezuela contra um barco da guarda costeira local às 00h45 (01H45 de Brasília) de segunda-feira, disseram as Forças Armadas em comunicado divulgado nesta terça-feira.

O acidente ocorreu quando "um procedimento de controle de tráfego marítimo" foi realizado no noroeste da ilha de La Tortuga (norte), detalhou o documento.

Quando o barco foi escoltado até o porto da ilha de Margarita (norte) como parte do protocolo, "decidiu atingi-lo e causou a emborcação, ou seja, o naufrágio do navio da marinha", esclareceu mais tarde o ministro da Defesa, general Vladimir Padrino.

Já o Resolute seguiu navegando, com "danos à proa", e está ancorado no porto de Willemstad, em Curaçao, um território autônomo da Holanda, localizado a cerca de 110 km da costa venezuelana.

"As autoridades de Curaçao ... devem realizar a investigação, denunciar oficialmente e tomar medidas porque foi um ato de pirataria internacional", denunciou o presidente Nicolás Maduro, na companhia de Padrino e outras autoridades.

Maduro se perguntou se o navio de passageiros estava carregando "mercenários para atacar bases militares" na Venezuela.

"Podemos fazer mil perguntas neste momento em que o imperialismo (dos Estados Unidos) enlouqueceu para atacar a Venezuela de maneira multiforme", disse o líder chavista.

atm/yow/lca

Notícias