PUBLICIDADE
Topo

China condena apoio dos EUA à inclusão de Taiwan na ONU

02/05/2020 14h13

Nações Unidas, Estados Unidos, 2 Mai 2020 (AFP) - A China condenou uma publicação dos Estados Unidos em uma rede social, apoiando a participação de Taiwan na ONU, enquanto a organização trabalha com seus 193 Estados-membros para combater a pandemia de coronavírus.

A missão diplomática de Pequim nas Nações Unidas expressou "forte indignação e oposição firme" a uma mensagem publicada pelo governo americano na sexta-feira, no Twitter. Nela, Washington classificou a exclusão de Taiwan como uma "afronta" aos princípios da organização.

Considerado por Pequim como uma província rebelde que aguarda a reunificação, o território autônomo foi visto como um modelo na luta contra o vírus. Menos de 500 casos foram detectados na ilha, apesar de sua proximidade com a China continental, onde o surto começou.

"Proibir #Taiwan de pôr os pés na ONU é uma afronta não apenas ao orgulhoso povo de Taiwan, mas também aos princípios da ONU", disse a missão dos EUA em sua mensagem, retuitada pela embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Kelly Craft.

Em resposta, Pequim disse que "Taiwan é uma parte inalienável da China".

A conta do Twitter da missão dos EUA também compartilhou mensagens anteriores do Departamento de Estado on-line, pedindo que Taiwan seja incluída na próxima reunião da Organização Mundial da Saúde (OMS).

As relações entre ONU e Taiwan se tensionaram bem antes da pandemia, mas se deterioraram ainda mais nos últimos três meses. A situação ficou especialmente delicada, depois que os líderes da OMS foram acusados pelos Estados Unidos de estarem muito próximos de Pequim desde o início da pandemia.

prh/cjc/rbu/axn/mls/gma/tt