PUBLICIDADE
Topo

Ruptura dos EUA com a OMS é um "sério revés para a saúde mundial", afirma ministro alemão

30/05/2020 07h28

Berlim, 30 Mai 2020 (AFP) - A decisão do governo dos Estados Unidos de romper com a Organização Mundial da Saúde (OMS) é um "sério revés para a saúde mundial", afirmou o ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, em uma mensagem no Twitter.

Admitindo a necessidade de reformar a instituição multilateral, o ministro considera que a União Europeia (UE) deve se "comprometer mais" com a OMS do ponto de vista financeiro.

"Para que a OMS tenha futuro precisa de reformas", destacou Jens Spahn.

O ministrou afirmou que uma das prioridades da Alemanha ao assumir a presidência da UE no dia 1 de julho será reforçar a presença do bloco na OMS.

O presidente americano Donald Trump, que acusou a OMS em várias ocasiões de se muito indulgente com a China desde o início da pandemia do novo coronavírus, anunciou na sexta-feira o fim da relação entre seu país e a agência da ONU.

O governo dos Estados Unidos era o principal contribuinte da OMS e Trump explicou que a partir de agora vai destinar os recursos para "outras necessidades urgentes de saúde pública que mereçam".

yap/bl/es/fp

Notícias