PUBLICIDADE
Topo

Huawei não terá "proibição total" de 5G na França

05/07/2020 18h51

Paris, 5 Jul 2020 (AFP) - A gigante chinesa de telecomunicações Huawei não terá uma "proibição total" do mercado francês de redes 5G, mas as operadoras francesas que o usarem receberão autorizações operacionais limitadas a oito anos, segundo a Agência Nacional de Segurança de Sistemas de Informação (Anssi).

O anúncio acontece após várias controvérsias sobre o envolvimento da Huawei na rede 5G, depois que vários países ocidentais proibiram a empresa de intervir em suas redes por razões de segurança.

"O que posso dizer é que não haverá proibição total. Operadoras que não usam a Huawei, pedimos que não o façam porque é o sentido natural das coisas", disse Guillaume Poupard, CEO da Anssi.

"Quem já usa, concederemos autorizações cuja duração varia entre três e oito anos", disse ele em entrevista ao jornal econômico Les Echos.

Essas restrições provavelmente limitarão o acesso da Huawei à rede 5G na França.

A Huawei investiu bilhões de dólares nessa tecnologia, o futuro sistema de telecomunicações móveis, competindo principalmente com a Ericsson, da Suécia, e com a Nokia, da Finlândia.

Os Estados Unidos, o Reino Unido e outros países disseram que a Huawei representa um risco à segurança, principalmente porque seu fundador, Ren Zhengfei, é um ex-engenheiro do Exército Popular de Libertação chinês.

A Huawei garantiu que romperá alianças com qualquer país hostil e se concentrará em trabalhar com países onde for bem-vinda.

ngu/ak/lpt/bc/gma/cc