PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus é nova batalha para Exército mexicano

06/07/2020 15h38

Culiacán, México, 6 Jul 2020 (AFP) - Ao nascer do sol, dezenas de militares abastecem um avião Hércules com insumos que distribuem por todo o México contra a Covid-19, uma nova batalha para estes homens, que combatem o narcotráfico e são especialistas em lidar com desastres.

Aos poucos, o C-130 fica cheio de remédios, equipamentos de proteção, oxímetros e respiradores para pacientes críticos. O avião deverá levar 12 toneladas de material para as cidades de La Paz, Mexicali, Tijuana, Hermosillo e Culiacán, todas no noroeste do país, em um dia e meio.

"Nós, militares, temos sempre que estar preparados para condições de guerra. Neste caso, não se trata de uma guerra, mas é uma situação que foge do controle em muitos estados", diz o capitão Raúl Ibarra, piloto do avião, durante a escala em Culiacán (Sinaloa).

As Forças Armadas têm sido uma peça fundamental da defesa civil no México, atuando tanto em furacões quanto em incêndios ou terremotos. Mas sua relação com os civis complicou-se em 2006, depois que eles foram envolvidos pelo governo em uma operação polêmica contra o tráfico de drogas, durante a qual foram acusados de violações dos direitos humanos.

Apesar de sua experiência em lidar com emergências, o cenário apresentado pelo novo coronavírus é difícil. A pandemia já deixou mais de 30 mil mortos no México, o que tornou o país o quinto em número de vítimas fatais. Um total de 256.848 casos da doença foram registrados.

Para enfrentar este quadro, o governo se apoiou nas Forças Armadas, que ativaram o chamado Plano DN-III, estratégia de auxílio à população em casos de desastre elaborada em 1965.

O capitão Ibarra conhece a fundo este plano. Sob o mesmo esquema, ele pilotou o cargueiro para coletar mantimentos e distribuí-los após os dois terremotos que atingiram o México em 2017. "O diferente desta vez é chegar a cada ponto e passar por procedimentos de higienização."

- Múltiplas tarefas -Quando o avião chega a seu primeiro destino, La Paz, capital do estado da Baja California Sur, tudo acontece rapidamente: a temperatura da tripulação é medida e dezenas de militares se posicionam para descarregar o equipamento sob o sol escaldante.

O avião é reabastecido e segue para Tijuana. Vários responsáveis por receber o material aplaudem o trabalho de logística que representa levar insumos médicos a todo o país durante uma pandemia.

Esta é apenas uma das tarefas do Exército mexicano durante a crise atual. Antes, os soldados adaptaram hospitais militares e quartéis para receber pacientes com Covid-19. Eles também vigiam centros de saúde e fabricam uniformes médicos.

yug/sem/axm/lda/lb