PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Itália perdeu meio milhão de habitantes em cinco anos

Roma, Itália - Getty Images
Roma, Itália Imagem: Getty Images

Da AFP, em Roma

13/07/2020 08h57

A Itália perdeu mais de 500.000 habitantes em cinco anos, situação provocada pela queda de nascimentos e o aumento do número de italianos que se mudara para outros países, anunciou o Istat (Instituto Nacional de Estatísticas).

"Em 31 de dezembro de 2019 a população residente na Itália era de 60.244.639 pessoas, quase 189.000 a menos que no início do ano. Em comparação com a mesma data em 2014, a queda é de 551.000 pessoas, o que confirma o declínio demográfico dos últimos cinco anos", ressalta o Istat.

"É um novo registro negativo de nascimentos e supera o recorde negativo de 2018", afirmou o instituto. Em 2019 foram registrados 420.170 nascimentos no país, quase 19.000 a menos que no ano anterior.

"A tendência negativa continua e mais uma vez foi registrado um déficit significativo entre recém-nascidos e falecidos, que segue a tendência dos últimos anos", explica o Istat, que registrou mais óbitos que nascimentos em 2019.

A população italiana se caracteriza por "um envelhecimento demográfico acentuado", recorda o Istat.

A chegada de estrangeiros e emigrantes não compensa a perda de população e se limita a "atenuar" a tendência, segundo o instituto oficial.

A Itália recebe em seu território cidadãos de 194 nacionalidades diferentes, incluindo 50 com pelo menos 10.000 residentes na península. Os estrangeiros na Itália representam 8,8% da população.

As cinco nacionalidades com mais residentes no país são romenos (1,208 milhão), albaneses (441.000), marroquinos (432.000), chineses (305.000) e ucranianos (240.000), que representam quase metade do número de estrangeiros na Itália.

Internacional