PUBLICIDADE
Topo

Primeiro-ministro búlgaro propõe nova Constituição, rejeitada por manifestantes

14/08/2020 20h11

Sófia, 14 Ago 2020 (AFP) - O primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borisov, propôs nesta sexta-feira a elaboração de uma nova Constituição para limitar a influência dos oligarcas, em resposta aos manifestantes que denunciam a corrupção, mas que se opuseram à medida.

"Os partidos políticos do sistema não podem continuar a silenciar o grande desejo de mudança na Bulgária", disse o primeiro-ministro em discurso solene transmitido pela televisão e pelo rádio.

"Respeito a revolta dos jovens e tudo está em nossas mãos", acrescentou Borisov, referindo-se aos milhares de manifestantes que exigem há cinco semanas a sua renúncia e o acusam de não ter lutado o suficiente contra a corrupção do poder político por uma parte das elites econômicas.

Segundo o primeiro-ministro, a nova Constituição permitiria limitar o poder do Ministério Público, considerado pela oposição parcial e a serviço de parte da oligarquia búlgara. No entanto, os principais organizadores das manifestações denunciaram que o parlamento, "controlado pelo poder oligárquico", prepara-se para "propor um projeto de Constituição para permitir à máfia criar a sua própria lei fundamental e a Boiko Borisov ganhar tempo para continuar no Executivo" até as eleições, marcadas para o próximo ano.

O governo búlgaro é composto por conservadores liderados por Borisov e nacionalistas, que também se opuseram à proposta de elaborar uma nova Constituição.

vs/bg/mr/oaa/eb/af/jc/lb