PUBLICIDADE
Topo

Chefe do Executivo de Hong Kong rompe vínculos com a Universidade de Cambridge

16/08/2020 08h55

Hong Kong, 16 Ago 2020 (AFP) - A chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, anunciou a "devolução" do título de membro honorário de uma das faculdades da Universidade de Cambridge, um protesto pelas acusações de violação da liberdade acadêmica na cidade.

Lam disse que rompeu os vínculos com o Wolfson College da prestigiosa universidade, onde estudou, em resposta às preocupações expressadas pela instituição a respeito da liberdade de expressão em Hong Kong.

Ela se declarou "profundamente decepcionada com a faculdade, que calunia uma pessoa com base em boatos, mais do que em fatos".

"Portanto, dificilmente posso ser convencida a manter uma relação com o Wolfson College", escreveu no sábado à noite no Facebook.

Em sua mensagem, a governante nega a intenção de acabar com as liberdades no território e afirma que estas são acusações "sem fundamento".

O Wolfson College manifestou recentemente a Lam preocupações sobre seu "compromisso a favor da proteção dos direitos humanos e da liberdade de expressão".

A administração da instituição pretendia analisar em setembro o título de membro honorário de Lam.

A chefe do Executivo, designada por Pequim, integra o grupo de 11 dirigentes chineses e de Hong Kong que foram objetos de sanções por parte do governo dos Estados Unidos após a decisão de Pequim de impor, no fim de junho, ao território semiautônomo uma lei sobre a segurança nacional, que reforça o controle da China sobre Hong Kong.

Desde sua entrada em vigor, quase 20 ativistas pró-democracia foram detidos, incluindo o magnata dos meios de comunicação Jimmy Lai, muito crítico ao regime chinês.

Candidatos às eleições legislativas foram vetados e livros considerados contrários à nova lei foram retirados das bibliotecas e escolas da cidade.

Três acadêmicos de grande reputação foram demitidos depois que foram detidos por seu papel no "Movimento dos Guarda-Chuvas" de 2014.

Os dirigentes chineses consideram o sistema de ensino da cidade um dos principais responsáveis pelo movimento pró-democracia e ordenaram às autoridades locais que adotem uma educação "mais patriótica" e observem o respeito à lei.

Desde o ano passado, o Wolfson College enfrenta pressões para retirar o título honorário de Carrie Lam.

su/jta/leg/juf/lb/mis/zm/fp

FACEBOOK