PUBLICIDADE
Topo

Rússia quer fortalecer cooperação militar com o Irã quando embargo de armas expirar

22/09/2020 10h02

Moscou, 22 Set 2020 (AFP) - A Rússia planeja desenvolver sua cooperação militar com o Irã quando o embargo internacional de venda de armas sobre Teerã expirar em 18 de outubro, apesar das ameaças dos Estados Unidos, disse nesta terça-feira (22) o vice-ministro russo das Relações Exteriores.

"Após o fim, em 18 de outubro, do regime especial introduzido pela resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU, haverá novas perspectivas para nós de cooperar com o Irã" militarmente, declarou à agência Interfax o vice-ministro Serguei Riabkov.

"De que volume estamos falando ou em qual direção essa cooperação se desenvolverá ainda está para ser visto. Mas não dependerá, em nenhum caso, de ações ilegais do governo americano, que quer intimidar o mundo inteiro", acrescentou.

O chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, declarou recentemente que seu país impediria o Irã de comprar armamento russo e chinês, em um momento em que o embargo internacional de armas que afeta Teerã expira em 18 de outubro.

Dias depois, os Estados Unidos proclamaram, unilateralmente, que todas as sanções da ONU contra o Irã estavam novamente em vigor e que o embargo se prolongará.

Essas sanções foram levantadas após a assinatura do acordo internacional em Viena em 2015, destinado a limitar o programa nuclear iraniano.

Entretanto, em uma verdadeira pirueta jurídica, os Estados Unidos argumentam que são um país que "participou" neste acordo, do qual decidiram se retirar em 2018, para restabelecer essas sanções, algo totalmente criticado pelos membros do Conselho de Segurança da ONU e países europeus.

O governo de Donald Trump também ameaçou claramente com um sistema punitivo qualificado de secundário, para castigar qualquer país ou entidade que viole as sanções internacionais que Washington considera que estão em vigor.

alf/apo/lpt/bl/me/aa