PUBLICIDADE
Topo

Peru e Suíça firmam convênio para reduzir gases-estufa sob Acordo de Paris

20/10/2020 17h53

Lima, 20 Out 2020 (AFP) - A Suíça financiará projetos no Peru para reduzir a emissão de gases de efeito estufa, após a assinatura de um convênio bilateral considerado pioneiro no âmbito do Acordo de Paris, informou nesta terça-feira (20) o governo peruano.

"Este acordo representa um modelo em nível internacional de como impulsionar as abordagens de mercado de carbono, propostos pelo Acordo de Paris e facilitar, assim, sua implementação a favor de um desenvolvimento sustentável", disse a ministra peruana do Ambiente, Kirla Echegaray.

Segundo o convênio, a Suíça financiará projetos peruanos que implementem tecnologias e práticas com baixas emissões de gases de efeito estufa (GEE) no campo das energias renováveis, como cozinhas melhoradas, aterros sanitários e eletrificação em zonas rurais, entre outros, segundo o ministério peruano do Ambiente.

O acordo foi assinado em Lima entre a ministra Echegaray e o embaixador da Suíça, Markus Alexander Antonietti, representante de seu governo.

O detalhe dos projetos potencialmente contemplados, assim como das eventuais quantias não foi mencionado.

O presidente peruano, Martín Vizcarra, e sua contraparte suíça, Simonetta Sommaruga, abordaram o tema em 14 de outubro, durante uma conversa por telefone, quando concluíram as negociações.

O convênio começou a ser negociado em 2019 e é o primeiro do mundo firmado sob o artigo 6, do Acordo de Paris, destacaram as autoridades signatárias.

O objetivo é estabelecer regras sólidas que assegurem a contribuição dos mercados de carbono para o desenvolvimento sustentável e a integridade ambiental.

O governo suíço ressaltou, por sua vez, que o convênio serve de acordo-quadro que lhes permitirá compensar parte de suas emissões de CO2 através de projetos executados no Peru.

"A Suíça é pioneira em escala mundial e semeia as bases para pôr em andamento projetos climáticos internacionais", como parte de seu compromisso nacional de reduzir as emissões, informou em um comunicado.

O Acordo de Paris permite justamente aos países se envolverem em projetos climáticos em outros países como parte de seu compromisso para reduzir emissões.

Uma cláusula prevê a suspensão do acordo em casos de violações dos direitos humanos.

ljc/lda/mvv