PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Cerca de 1 milhão de pessoas receberam duas vacinas experimentais chinesas contra covid-19

Labortório chinês Sinopharm testa duas possíveis vacinas contra a covid-19 - FilippoBacci/Getty Images
Labortório chinês Sinopharm testa duas possíveis vacinas contra a covid-19 Imagem: FilippoBacci/Getty Images

20/11/2020 09h03

Pequim, 20 Nov 2020 (AFP) - Cerca de um milhão de pessoas já foram inoculadas "de urgência" com duas vacinas experimentais contra a covid-19 da empresa chinesa Sinopharm, anunciou o laboratório farmacêutico sem fornecer dados clínicos sobre sua eficácia.

No verão passado (inverno no Brasil), a China autorizou a inoculação dessas vacinas ainda não aprovadas para casos considerados urgentes, como funcionários e estudantes que viajam para o exterior, ou trabalhadores altamente expostos, como os profissionais de saúde.

"Nossas vacinas foram inoculadas em cerca de um milhão de pessoas, e não tivemos comentários sobre reações indesejadas graves", disse o presidente da Sinopharm, Liu Jingzhen, no site do grupo.

De acordo com a empresa, nenhuma das pessoas inoculadas com suas vacinas teve covid-19, embora tenham viajado para "mais de 150 países".

A China, onde o novo coronavírus foi descoberto no final de 2019, conta no momento com quatro vacinas na fase 3 de testes. Essa é a última etapa antes de uma possível homologação.

Como há poucos pacientes com covid-19 no país asiático, que controlou o surto da doença na primavera passada (outono no Brasil), os testes estão sendo realizados no exterior.

Os ensaios clínicos de fase 3 do Sinopharm, que tem duas vacinas nesta etapa, estão sendo conduzidos em uma dezena de países, entre eles, Emirados Árabes Unidos, Argentina, Peru, Egito e Jordânia.

Coronavírus