PUBLICIDADE
Topo

Tóquio recomenda restrições ante aumento de contágios de covid-19

25/11/2020 07h50

Tóquio, 25 Nov 2020 (AFP) - As autoridades de Tóquio pediram aos moradores que evitem deslocamentos desnecessários e solicitou aos estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas que fechem mais cedo para lutar contra o aumento de contágios de covid-19 no Japão.

O Japão foi relativamente pouco afetado até o momento pela pandemia - com quase 2.000 mortes e 135.400 contágios, segundo os números oficiais - e não determinou medidas de confinamento como outros países.

Mas atualmente o arquipélago nipônico registra dados recordes de contágios diários.

"Gostaríamos de pedir aos residentes de Tóquio, se puderem, que evitem passeios não essenciais na medida do possível para prevenir a propagação da infecção", disse a governadora Yuriko Koike.

Ela também incentivou os habitantes de Tóquio a trabalhar de casa.

As medidas não têm caráter obrigatório. Durante o estado de emergência declarado na primeira onda da pandemia, o país não aplicou sanções às pessoas que não permaneceram em casa ou às lojas que se negaram a fechar as portas.

Além disso, Koike pediu aos estabelecimentos comerciais que vendem bebidas alcoólicas, incluindo casas de karaoke, que fechem às 22h00 a partir de sábado por três semanas. As empresas devem receber uma indenização.

A Associação Médica do Japão advertiu nesta quarta-feira que "o sistema de saúde corre o risco de colapso em todo o país".

"Se o número de infecções aumentar rapidamente, não teremos leitos (suficientes) para os enfermos de coronavírus e outros pacientes", afirmou o presidente da associação, Toshio Nakagawa.

Na semana passada, o primeiro-ministro Yoshihide Suga declarou que o Japão estava em "alerta máximo" depois de registrar um número recorde de infecções diárias, o que obrigou o governo a desistir de uma polêmica campanha para promover o turismo interno.

hih-sah/kaf/ras/mac/pz/es/zm/fp