PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Equador inicia vacinação contra a covid-19 com doses da Pfizer/BioNTech

Equador inicia vacinação contra a covid-19 com doses da Pfizer/BioNTech -                                 Reuters/Imago Imagens/Direitos reservados
Equador inicia vacinação contra a covid-19 com doses da Pfizer/BioNTech Imagem: Reuters/Imago Imagens/Direitos reservados

21/01/2021 17h38

O Equador, um dos países mais afetados pela pandemia na América Latina, iniciou nesta quinta-feira (21) a aplicação da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer/BioNTech, imunizando profissionais de saúde da linha de frente em vários hospitais.

"É uma bênção para o país, pois é a ferramenta mais importante no combate à pandemia", disse Jeanneth Morales, chefe do Serviço de Emergência do Hospital Militar de Quito, após ser vacinada.

Um primeiro lote de 8.000 doses, dos cerca de 2,1 milhões adquiridos da aliança germano-americana, chegou na quarta-feira e começou a ser aplicado nos hospitais estaduais de Quito e Guayaquil.

No hospital Pablo Arturo Suárez, em Quito, o médico Jorge Luis Vélez fechou os olhos ao receber a injeção que durou alguns segundos.

"Sinto que a ciência fez a sua parte, acompanhei esta vacina de forma acadêmica, li muito e sinto que agora há uma luz de esperança, de oportunidade", disse Vélez.

A vacinação começou "em homenagem a todos os médicos e profissionais de saúde que sofreram da doença. Muitos deles morreram. Hoje há esperança em receber a vacina da Pfizer", disse o ministro da Saúde, Juan Carlos Zevallos, em comunicados à imprensa em Guayaquil.

Uma segunda dose será aplicada 21 dias após a primeira, de acordo com autoridades.

A fase inicial contempla 86 mil doses que chegarão ao país progressivamente até fevereiro, ampliando a imunização para pessoas de centros geriátricos.

Em março, chegarão mais doses da Pfizer/BioNTech e cerca de 16 milhões de doses compradas da britânica AstraZeneca, da fabricante americana COVAXX e através do sistema Covax da Organização Mundial da Saúde (OMS) em favor dos países mais pobres.

As 8.000 doses que chegaram na quarta-feira foram distribuídas entre Quito, Cuenca e o porto de Guayaquil, uma das primeiras fontes da pandemia na América Latina.

Depois que o primeiro caso de coronavírus foi confirmado no Equador em 29 de fevereiro, a populosa cidade portuária e centro comercial do país sofreu um colapso de seus hospitais e serviços funerários.

O Equador, com 17,4 milhões de habitantes e que aprovou o uso da vacina Pfizer/BioNTech em dezembro, registra 234.315 casos (1.347 por 100.000 habitantes), sendo a maioria (75.710) em Quito.

As mortes pela pandemia totalizam 14.437(83 por 100.000 habitantes).

Internacional