PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Minneapolis chora morte de Daunte Wright, nova vítima da violência policial

22/04/2021 20h25

Minneapolis, Estados Unidos, 22 Abr 2021 (AFP) - "Que termine a tristeza nesta cidade", suplica um homem no Shiloh Temple International Ministries, em Minneapolis, antes do funeral de Daunte Wright, jovem negro assassinado no último dia 11 por uma policial branca durante um controle de trânsito.

O prédio pode parecer modesto visto de fora, mas abriga um anfiteatro com centenas de assentos, todos ocupados e localizados em frente a uma grande plataforma. Foi ali, em um distrito comercial dessa metrópole americana, que aconteceu hoje o funeral de Daunte Wright.

Sobre o caixão branco, descansa uma grande coroa de rosas. De ambos os lados da plataforma, são projetados vídeos e fotos da vítima em diferentes fases de sua vida. Um coro gospel entra em cena, antes de um trompetista ser ovacionado com um solo emocionante de vários minutos.

O reverendo Al Sharpton, figura da luta pelos direitos civis, pronunciou a oração fúnebre, como já o havia feito por George Floyd, cuja família estava presente. "Temos que levantar a voz quando há uma injustiça", declarou. Sua organização, Rede de Ação Nacional, arcou com os custos do funeral.

- 'Justiça para Daunte Wright' -"Justiça para Daunte Wright", pediu o advogado Ben Crump, que representa, além da família de Wright, a de George Floyd e outras vítimas da violência policial. "A vida de Daunte Wright importa", afirmou toda a assembleia, a convite do advogado.

Do lado de fora da igreja, um grupo de homens negros armados faziam a segurança do evento. Portando uma metralhadora, o bombeiro reformado Sarge, 56, apresentou-se como um dos líderes da Minnesota Freedom Fighters, organização que se nega a ser chamada de milícia. "Consideramos importante ter algo que não seja sempre a presença policial, embora sejamos semelhantes em alguns aspectos."

A morte de Daunte Wright, que ocorreu durante o julgamento de Derek Chauvin, gerou várias noites de protesto no Brooklyn Center, local do incidente.

No fim do corredor onde o caixão de Wright era exibido aberto, pessoas se aproximaram para homenagear o jovem e meditar, observadas pela família da vítima, sentada na primeira fila. O corpo será enterrado no cemitério de Lakewood.

rle/dax/dg/mps/lb