PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Nepal está em 'situação de crise' pela covid-19

14/05/2021 08h43

Katmandu, 14 Mai 2021 (AFP) - Cinco pacientes com covid-19 morreram por asfixia esta semana em um hospital no Nepal, devido à falta de oxigênio no sul do país, que atravessa um agravamento da crise sanitária e que dispõe de um sistema de saúde ainda mais precário do que o da Índia.

O número de novos casos diários multiplicou por 60, elevando o total para 9.000 desde abril. Cerca de mil pessoas morreram nos últimos dez dias.

Desde o início da pandemia, o Nepal registrou 422.349 casos e 4.252 mortes, mas, assim como na Índia, esse balanço não parece refletir a realidade.

Cerca de metade das pessoas testadas são diagnosticadas com a doença, e os casos graves continuam a chegar aos hospitais, onde os cilindros de oxigênio se esvaziam muito mais rápido do que são enchidos.

Em Katmandu, alguns hospitais anunciaram que já não podem admitir novos pacientes, cujas famílias procuram desesperadamente um leito.

Cinco pacientes em terapia intensiva em um hospital de Rupendehi (sul) morreram por asfixia esta semana.

"Nossos veículos faziam fila para recarregar os cilindros em três estações de recarga diferentes, mas nenhum chegou a tempo", disse à AFP Bishnu Gautam, médico do hospital provincial de Lumbini.

- Falta de oxigênio -Gaurav Sharda, presidente da Associação da Indústria de Oxigênio do Nepal, explica que a demanda cresceu acima da capacidade de produção.

"Todas as fábricas de oxigênio em Kathmandu operam 24 horas por dia e fornecem oxigênio na capacidade máxima. Só podemos encher 8.000 cilindros por dia, mas a demanda é muito maior", explica Sharda.

O chefe do centro de operações de emergência do ministério da Saúde, Samir Kumar Adhikari, declarou o país em "situação de crise".

"Se 20% das milhares de pessoas isoladas em casa precisassem de leitos hospitalares e cuidados, não poderíamos dar conta", ressaltou.

As razões para o agravamento da doença no Nepal são semelhantes às de seu vizinho indiano.

Apesar do grande aumento de casos no início de abril, o governo continuou a autorizar e até mesmo a organizar festas religiosas e congregações políticas.

Muitos nepaleses foram ao festival indiano do Kumbh Mela, que teve a participação de milhões de devotos hindus. Além disso, muitos viajantes indianos passaram pelo Nepal até que os voos internacionais da Índia fossem suspensos.

- Ajuda internacional -A associação médica nepalesa exortou os políticos a "adiarem seus cálculos políticos" e priorizarem o salvamento de vidas.

O Nepal depende da Índia para a maior parte de suas importações, mas o gigante asiático teve de congelar suas exportações de vacinas em março para imunizar sua própria população. Com isso, forneceu ao Nepal somente metade do que havia reservado.

Neste país de 30 milhões de habitantes, somente 2,4 milhões de vacinas foram administradas. Apenas 1% da população recebeu ambas as doses.

O Nepal agora se volta para a China. Esta semana, enviou um avião para buscar a primeira carga de 400 cilindros de oxigênio. Pequim forneceu 800.000 doses de sua vacina ao Nepal.

Os nepaleses no exterior se mobilizam para conseguir ajuda emergencial para o país com a hashtag #vaccines4nepal (vacinas para o Nepal), enquanto senadores americanos discutem ajuda para contribuir com o país.

A coordenadora residente da ONU no Nepal, Sara Beysolow Nyanti, afirmou que o país precisa de ajuda "urgente".

"Temos um fardo semelhante ao da Índia, mas menos capacidade de lidar com a situação", disse ela à AFP, enquanto pediu ao mundo que "tome consciência da vulnerabilidade do Nepal".

Na segunda-feira, o governo pediu ajuda, principalmente de oxigênio, equipamentos de terapia intensiva e vacinas.

"Se a ajuda que solicitamos não chegar, entraremos em uma situação terrível e muito difícil de administrar", declarou Adhikari, funcionário do Ministério da Saúde.

str-pm/stu/lth/ial/af/es/mr/tt