PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Arcebispo da Croácia pede perdão aos LGBTs rejeitados pela Igreja Católica

Cerca de 90% dos habitantes da Croácia são católicos; gesto de Uzinic é sem precedentes no país conservador - Reprodução/Facebook
Cerca de 90% dos habitantes da Croácia são católicos; gesto de Uzinic é sem precedentes no país conservador Imagem: Reprodução/Facebook

Em Zagreb (Croácia)

18/05/2021 10h30Atualizada em 18/05/2021 14h40

O arcebispo coadjutor de Rijeka, o croata Mate Uzinic, pediu perdão hoje aos homossexuais que se sentem rejeitados pela Igreja Católica, um gesto sem precedentes no país conservador.

Uzinic aproveitou o Dia Mundial contra a Homofobia, a Bifobia e a Transfobia para denunciar que os chamados do papa Francisco pelo respeito à comunidade LGBT continuam sendo ignorados por alguns fiéis.

Alguns católicos querem "servir a Cristo na Igreja através da discriminação, agressão e violência, voltando-se contra os homossexuais", publicou o arcebispo nos redes sociais.

"Lamento que ainda haja católicos que não concordem com isso", acrescentou o arcebispo de Rijeka.

"Peço perdão às pessoas homossexuais, porque podem continuar se sentindo rejeitadas pela Igreja por esse motivo, e também porque não obtêm o acompanhamento pastoral a que deveriam ter direito."

Cerca de 90% dos habitantes da Croácia são católicos. Apesar dos progressos nos direitos da comunidade LGBT registrados nos últimos anos, o coletivo continua sendo alvo de discriminação e ameaças nos países do leste europeu.

Internacional