PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Vice-presidente americana diz a López Obrador enxergar 'nova era' entre México e EUA

08/06/2021 18h00

México, 8 Jun 2021 (AFP) - A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, disse nesta terça-feira (8) durante encontro com o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, que enxerga uma "nova era" para ambos os países.

"Como você disse, os Estados Unidos e o México têm uma antiga relação (...) baseada em uma fronteira em comum, em uma história em comum. Acredito firmemente que estamos entrando em uma nova era", disse Harris a López Obrador, segundo a imprensa que acompanha a vice-presidente e que teve acesso à reunião.

Harris está nesta terça-feira em visita ao México para resolver a questão migratória irregular para os Estados Unidos e a necessidade de resolvê-la levando em consideração suas causas profundas.

Na segunda-feira ela esteve na Guatemala.

Seu encontro com com López Obrador aconteceu no Palácio Nacional, onde o presidente de esquerda mostrou à vice-presidente alguns dos majestosos murais do artista mexicano Diego Rivera que adornam o local.

"Estou muito feliz que a vice-presidente nos visite e vamos falar sobre a questão migratória, mas cuidando das causas nos fundamentos", disse López Obrador, conhecido como AMLO.

O ministro mexicano das Relações Exteriores, Marcelo Ebrard, informou no Twitter que a reunião tratou de questões econômicas e de segurança, além da "cooperação para a segurança e o desenvolvimento do sul do México e da América Central".

"Foi uma reunião de muito sucesso", acrescentou.

Após a reunião, Harris, vestindo um terno escuro e de máscara, partiu em meio a um forte dispositivo de segurança para um hotel onde está marcada uma coletiva de imprensa.

- Não será imediato -Harris e López Obrador testemunharam a assinatura de um memorando de entendimento entre o México e os Estados Unidos para o desenvolvimento da região centro-americana do Triângulo Norte, composta por Guatemala, Honduras e El Salvador.

A vice-presidente americana disse que busca dar aos centro-americanos um sentimento de "esperança" e que trabalhará para que não sejam forçados a deixar seus países devastados pela violência e pela pobreza.

"A maioria das pessoas não quer sair de casa, não quer deixar o lugar onde sua avó cresceu, o lugar onde ela reza, o lugar onde falam sua língua e sua cultura é familiar", disse ela na Guatemala.

Mas em entrevista à rede NBC, transmitida nesta terça, reconheceu que não há solução rápida para o problema da imigração irregular. "Não veremos um retorno imediato. Mas veremos progresso", apontou.

Desde que assumiu a presidência em dezembro de 2018, López Obrador ressaltou que para resolver o problema migratório seria necessário promover o desenvolvimento do sul do México e da América Central.

Seu governo lançou um programa de reflorestamento na região vizinha, chamado Sembrando Vida, para o benefício dos agricultores locais.

- Prisões -O México viveu momentos de tensão durante o governo do ex-presidente republicano Donald Trump, que ameaçou impor tarifas ao seu vizinho do sul se não parasse as caravanas de centro-americanos que em 2018 e 2019 buscaram chegar aos Estados Unidos.

López Obrador, que manteve um bom relacionamento com Trump, enviou grande parte da recém-criada Guarda Nacional para suas fronteiras norte e sul na tentativa de impedir e ordenar a passagem de pessoas sem documentos.

Mas com a chegada do democrata Joe Biden à presidência dos Estados Unidos, as políticas migratórias foram relaxadas, o que multiplicou as chegadas.

Em abril, cerca de 178 mil prisões de imigrantes sem documentos foram registradas na fronteira com o México, principalmente de centro-americanos, o número mais alto em 20 anos, de acordo com autoridades americanas.

A oposição republicana acusa Biden de desencadear uma nova "crise" nos mais de 3.000 quilômetros de fronteira com o México.

dr-sem/axm/yow/mr/jc/bn/mvv