PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Chefe do Pentágono apoia reforma de julgamentos de militares envolvidos em violência sexual

23/06/2021 00h16

Washington, 23 Jun 2021 (AFP) - O secretário de Defesa americano, Lloyd Austin, declarou nesta terça-feira (22) apoiar a ideia de julgar fora da esfera militar casos de violência sexual envolvendo militares dos Estados Unidos.

Austin indicou uma comissão independente para apresentar sugestões para que os perpetradores de violência sexual nas forças armadas pudessem ser processados com mais eficácia.

Observando em um comunicado que havia recebido as recomendações da comissão, Austin prometeu "trabalhar com o Congresso para alterar o Código de Justiça Militar, removendo os processos por agressão sexual da cadeia de comando militar".

A comissão "recomendou a inclusão de outros crimes sexuais neste sistema de justiça independente, incluindo violência doméstica", acrescentou Austin.

"Eu também a apoio, tendo em vista a estreita correlação entre esses tipos de crimes e a frequência das agressões sexuais", disse Austin.

Uma dúzia de oficiais foi expulsa das forças armadas em dezembro passado após uma série de assassinatos em uma importante base militar dos Estados Unidos, incluindo o de Vanessa Guillén, uma soldado de 20 anos que desapareceu em 22 de abril após ser vítima de assédio sexual.

Vanessa Guillén havia dito à família que não confiava na hierarquia militar para dar seguimento a uma denúncia de assédio sexual, e seus parentes duvidaram publicamente da determinação dos militares em investigar seu desaparecimento, até que seu corpo esquartejado foi finalmente descoberto em 30 de junho.

Desde então, o Pentágono foi instado a remover as decisões sobre crimes sexuais da cadeia de comando, mas o exército resistia à mudança até agora, citando a necessidade de manter o controle sobre a disciplina dentro das fileiras.

A senadora democrata Kirsten Gillibrand propôs um projeto de lei que removeria da hierarquia a decisão de processar crimes não sexuais, mas Austin não se referiu a essa proposta no comunicado.

sl/dax/am