PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Ministra do antigo governo provisório da Bolívia pede refúgio no Brasil

23/06/2021 22h03

La Paz, 24 Jun 2021 (AFP) - Uma ministra do governo interino da ex-presidente boliviana Jeanine Áñez, investigada por supostos casos irregulares no exercício de suas funções, solicitou refúgio no Brasil e o obteve de forma temporária, segundo seu advogado. La Paz irá recorrer ao governo de Jair Bolsonaro.

A ex-ministra do Meio Ambiente e Águas, María Elva Pinckert, "tomou a decisão de pedir asilo político devido às condições de saúde em que se encontrava", disse o advogado Jorge Valda à mídia boliviana, que posteriormente esclareceu que o Brasil lhe concedeu "refúgio temporário".

Ele explicou que dentro de 90 dias as autoridades brasileiras vão adotar "uma determinação final, com base nos elementos de prova que forem apresentados."

Pinckert, de 60 anos, que foi ministra da ex-presidente de direita Áñez (2019-2020), é investigada por nomeação irregular de funcionários e, em 1º de abril, um promotor emitiu um mandado de prisão contra ela.

A aprovação do refúgio temporário provocou uma reação do governo boliviano de esquerda.

O vice-ministro de Regime Interior e Polícia, Emilio Rodas, afirmou à rádio Éxito Notícias que se comunicará com o governo brasileiro sobre o caso "por meio da chancelaria".

"Não concordamos que estejam dando esse tratamento a pessoas que estão sendo processadas", declarou.

A ex-ministra do Meio Ambiente e Águas, antes de deixar a Bolívia, disse várias vezes que seu processo era político e que a justiça local não iria garantir a ela imparcialidade.

jac/lda/ic/mvv