PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
2 meses

No 'berço da liberdade', Castillo defende um Peru sem corrupção

29/07/2021 19h56

Ayacucho, Peru, 29 Jul 2021 (AFP) - De pé na carroceria de uma caminhonete branca, o extravagante presidente peruano, Pedro Castillo, chegou nesta quinta-feira (29) ao local da histórica batalha de Ayacucho, "berço da liberdade na América do Sul", onde foi saudado por milhares de camponeses como ele.

"Deste solo peruano convoco todos os homens e mulheres do país para que estejamos vigilantes e façamos com que prefeitos, governadores, ministros e parlamentares trabalhem para o Peru", disse ele, diante da multidão. "Serei o primeiro a condenar uma autoridade que rouba um centavo deste povo peruano", acrescentou o professor rural de esquerda, 51 anos, considerado "o primeiro presidente pobre" do Peru.

Com seu tradicional chapéu branco típico de sua terra natal, Cajamarca (norte), e com a faixa presidencial bicolor no peito, Castillo voou para a cidade andina de Ayacucho, 350 km a sudeste de Lima, um dia depois de assumir o cargo. Em seguida, embarcou em um helicóptero militar até Pampa de la Quinua, o local da batalha, localizado 3.400 metros acima do nível do mar.

Milhares de ayacuchanos se reuniram no obelisco de mármore que comemora a vitória de 9 de dezembro de 1824, que selou a independência do Peru e do restante da América espanhola. "Viemos a este centro histórico para ver o nosso presidente, eu me sinto muito orgulhosa de ser peruana e de participar desta pequena cerimônia", disse Lourdes Álvarez, 38, à AFP. "Eles nos dominaram, fizeram o que queriam, e, desta vez, o povo escolheu o que queria", declarou Edilberto Sosa (53).

Na tribuna, Castillo estava acompanhado dos presidentes Alberto Fernández, da Argentina, Luis Arce, da Bolívia, e Sebastián Piñera, do Chile, além do ex-presidente boliviano Evo Morales. Também estavam presentes a primeira-dama do Peru, Lilia Paredes, a nova vice-presidente, Dina Boluarte, e o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza.

"Eu, José Pedro Castillo Terrones, juro por Deus e pela pátria ocupar o cargo de presidente por um Peru sem corrupção e por uma nova Constituição", disse Castillo em juramento simbólico perante a multidão. A corrupção é um dos males do Peru, onde quatro ex-presidentes foram envolvidos no escândalo de pagamentos ilegais feitos pela construtora brasileira Odebrecht.

Castillo também nomeou o novo chefe de gabinete, Guido Bellido, um engenheiro de origem camponesa.

A posse de Castillo, ontem, coincidiu com o bicentenário da Independência do Peru, proclamada em Lima em 28 de julho de 1821 pelo general argentino José de San Martín e selada quatro anos depois em Ayacucho.

cm/fj/yow/jc/lb