PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Enchentes no Afeganistão deixam 60 mortos e 180 desaparecidos

Foto de agosto de 2020, quando vilarejos ficaram inundados e 162 morreram em decorrência das chuvas - AFP
Foto de agosto de 2020, quando vilarejos ficaram inundados e 162 morreram em decorrência das chuvas Imagem: AFP

30/07/2021 08h12

Cerca de 60 pessoas morreram nas inundações registradas na noite de quarta-feira (28) na província de Nuristão, no nordeste do Afeganistão, e pelo menos 180 ainda estão desaparecidas - informa um novo balanço divulgado pelas autoridades locais nesta sexta-feira (30).

"Descobrimos cerca de 60 corpos - mulheres, homens e crianças -, após a repentina inundação no distrito de Kamdesh", causada por chuvas torrenciais, declarou o governador da província de Nuristão, Hafiz Abdul Qayum, nesta sexta, à AFP.

"Pelo menos 180 pessoas estão desaparecidas. Não sabemos se estão mortas, ou vivas", acrescentou.

Segundo ele, a maioria das casas dos povoados da zona afetada, de difícil acesso, foi destruída.

Esse tipo de catástrofe é frequente no país, sobretudo, nas zonas rurais pobres, onde as casas são de construção precária e se encontram em áreas de risco. As enchentes costumam deixar dezenas de vítimas a cada ano.

Uma inundação repentina matou mais de 100 pessoas em agosto de 2020 na cidade de Charikar, capital da província de Parwan.

A falta de equipamentos e de infraestrutura dificulta as tarefas de resgate e o envio de ajuda para as áreas isoladas deste país empobrecido por 40 anos de guerra e conflitos.

Esta nova tragédia se dá no momento em que o governo luta contra uma ampla ofensiva dos talibãs, que se apoderaram de extensos territórios em poucos meses. Além disso, o Afeganistão enfrenta uma terceira onda de covid-19.

Internacional