PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Austrália afirma que será "paciente" para restaurar laços com a França

23/09/2021 06h01

Sydney, 23 Set 2021 (AFP) - O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, admitiu que o presidente francês, Emmanuel Macron, se mostra distante após a crise dos submarinos, mas prometeu ser "paciente" para restaurar as relações com a França.

Em declarações em Washington, Morrison afirmou que tentou entrar em contato com Macron, mas que ainda não conseguiram conversar.

"Mas seremos pacientes. Entendemos sua decepção", declarou Morrison, uma semana depois de a Austrália romper, sem avisar, o contrato de compra de 12 submarinos franceses de propulsão convencional por 90 bilhões de dólares australianos (US$ 65 bilhões).

De modo paralelo à ruptura de contrato, a Austrália anunciou a compra de pelo menos oito submarinos de propulsão nuclear americano ou britânicos, após vários meses de negociações secretas, o que enfureceu o governo francês.

Em resposta, a França cancelou uma noite de gala em Washington que homenagearia as relações franco-americanas e convocou seus embaixadores em Washington e Canberra, acusando os dois países de uma "punhalada nas costas".

Desde então, os presidentes americano, Joe Biden, e francês, Macron, tentaram reduzir a tensão durante uma conversa telefônica de 30 minutos, que Biden considerou "amistosa".

A França prevê o retorno de seu embaixador a Washington na próxima semana, mas não anunciou nenhuma data para o retorno de seu representante a Canberra.

"A Austrália decidiu não prosseguir com um contrato de defesa muito importante. E sabemos que a França está decepcionada por esta decisão, o que é compreensível", declarou Morrison.

"Acredito que precisaremos de mais tempo para resolver estas questões que já foram solucionadas entre Estados Unidos e França".

arb/djw/jfx/jvb/es