PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Autor de tiroteio em escola da Flórida vai se declarar culpado de 17 assassinatos

Jardim feito em homenagens as vítimas do tiroteio em massa na escola Marjory Stoneman Douglas  em Parkland, na Flórida - Eve Edelheit/The New York Times
Jardim feito em homenagens as vítimas do tiroteio em massa na escola Marjory Stoneman Douglas em Parkland, na Flórida Imagem: Eve Edelheit/The New York Times

15/10/2021 14h22

Nikolas Cruz, o réu confesso do massacre de 2018 em uma escola de ensino médio de Parkland, na Flórida, vai se declarar culpado de assassinar 17 pessoas, disse nesta sexta-feira (15) seu advogado diante de um tribunal.

"Temos a intenção de registrar uma mudança de declaração (...) para todas as acusações", disse a uma juíza o advogado David Wheeler, cujo cliente inicialmente se declarou não culpado dos assassinatos.

A magistrada convocou uma audiência para a próxima quarta-feira para que o réu confirme sua decisão.

Em 14 de fevereiro de 2018, Cruz matou 17 pessoas e feriu outras tantas com um fuzil semiautomático AR-15 na escola de ensino médio Marjory Stoneman Douglas de Parkland, de onde havia sido expulso um ano antes por "motivos disciplinares".

Com essa mudança de declaração, os advogados tentarão evitar que Cruz, de 23 anos, seja condenado à morte, embora a Procuradoria já tenha anunciado que solicitará a pena capital em qualquer caso.

O tiroteio de Parkland provocou uma mobilização sem precedentes para limitar as vendas de armas nos Estados Unidos.

Apesar de ter antecedentes psiquiátricos, Cruz conseguiu comprar facilmente um fuzil semiautomático.

A mobilização terminou em 24 de março de 2018 com manifestações que reuniram 1,5 milhão de pessoas em todo o país, o maior protesto já convocado para regumentar a venda de armas no país.