PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Governo da África do Sul diz se sentir 'castigado' por ter detectado nova variante

27.nov.2021 - Uma van da Cruz Vermelha transportando passageiros de voos da África do Sul com teste positivo para covid-19 rumo a um hotel onde ficarão em quarentena  - Laurens Bosch/ANP/AFP
27.nov.2021 - Uma van da Cruz Vermelha transportando passageiros de voos da África do Sul com teste positivo para covid-19 rumo a um hotel onde ficarão em quarentena Imagem: Laurens Bosch/ANP/AFP

Em Joanesburgo

27/11/2021 10h21

O governo sul-africano lamentou o fechamento de fronteiras aos seus cidadãos e viajantes e considerou que o fato de ter descoberto a nova variante omicron do coronavírus graças à qualidade de seus cientistas está "castigando" o país.

"Essas proibições de viagem castigam a África do Sul pela sua capacidade avançada no sequenciamento de genomas e em detectar mais rapidamente as novas variantes. A excelência científica deveria ser aplaudida e não castigada", disse o governo em um comunicado.

"Vemos também que há novas variantes detectadas em outros países. Nenhum desses casos tem relação recente com o sul da África. E a reação com esses países é radicalmente diferente da gerada pelos casos no sul da África", lamentou o ministério das Relações Exteriores neste comunicado.

O governo destaca que a OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda que sejam tomadas medidas semelhantes e pediu uma "abordagem científica, baseada nos riscos".

O ministro sul-africano da Saúde denunciou ontem a reação de vários países de fecharem suas portas para essa região do mundo antes inclusive de saberem os perigos da nova variante.

"Alguns líderes buscam bodes expiatórios para resolver um problema que é mundial", disse Joe Phaahla.

Internacional