PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Embaixada saudita diz que preso na França 'não tem vínculo' com assassinato de Khashoggi

Amigos de Jamal Khashoggi seguram fotos dois anos após a morte do jornalista - Ozan KOSE / AFP
Amigos de Jamal Khashoggi seguram fotos dois anos após a morte do jornalista Imagem: Ozan KOSE / AFP

07/12/2021 19h19

A embaixada da Arábia Saudita em Paris declarou na noite desta terça-feira (7) que o homem saudita detido durante o dia na França não tinha "nenhum vínculo" com o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi em 2018 em Istambul e pediu sua "libertação imediata".

"O cidadão em questão não tem nenhum vínculo com o caso", tuitou a embaixada, que acrescentou que os "culpados pelo assassinato" já foram julgados na Arábia Saudita e estão "cumprindo" suas penas no país.

O homem, que apresentou um passaporte com o nome de Khalid Alotaibi, foi detido nesta terça pela polícia fronteiriça do aeroporto Roissy Charles-de-Gaulle quando se preparava para embarcar em um voo para Riade, informou uma fonte próxima ao caso. O homem está atualmente sob custódia judicial.

A detenção ocorre três dias depois de o presidente francês, Emmanuel Macron, apertar a mão do príncipe-herdeiro saudita, Mohamed bin Salman, após uma criticada reunião em Jidá, no oeste deste país.

A imagem internacional do herdeiro, conhecido como MBS, ficou manchada pelo assassinato de Khashoggi, um jornalista saudita que trabalhava para o jornal The Washington Post. Ele foi esquartejado no consulado de Riade na Turquia e seu corpo nunca foi encontrado.

"MBS" é apontado por funcionários turcos e americanos com o autor intelectual do assassinato do jornalista.