PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Chefe do Estado-Maior da Índia morre em acidente de helicóptero

08/12/2021 20h17

Nova Délhi, 8 dez 2021 (AFP) - O chefe do Estado-Maior do exército indiano, o general Bipin Rawat, e sua mulher estão entre as 13 vítimas fatais da queda de um helicóptero nesta quarta-feira (8) no estado de Tamil Nadu, sul do país.

"Com profundo pesar, agora etá confirmado que o general Bipin Rawat, a senhora Madhulika Rawat e outras 11 pessoas que estavam a bordo (do helicóptero) morreram no lamentável acidente", informou a Força Aérea indiana no Twitter.

Algumas horas antes, a instituição anunciou que um helicóptero Mi-17V5 do exército com o general a bordo caiu perto de Coonoor, em Tamil Nadu.

O militar, de 63 anos, seguia com a mulher e outras pessoas para a Escola do Estado-Maior da Defesa, informou uma fonte militar à AFP.

A Força Aérea informou que iniciou uma investigação para determinar a causa do acidente.

O ministro das Florestas do estado de Tamil Nadu, K. Ramachandran, declarou um pouco antes ao jornal Times of India que sete corpos haviam sido recuperados na área do acidente.

"Vários feridos foram levados para o hospital", declarou à AFP uma fonte do corpo de bombeiros de Coonorr.

A aeronave caiu em uma área de floresta a quase 10 quilômetros da rodovia mais próxima, para a qual as equipes de resgate tiveram que caminhar até o local do acidente, afirmou à AFP outra fonte do corpo de bombeiros.

Nas imagens divulgadas pela imprensa, algumas pessoas tentam apagar as chamas com baldes d'água e um grupo de soldados retira um dos passageiros em uma maca improvisada.

Segundo a imprensa local, o helicóptero decolou da base aérea militar de Sulur, em Coimbatore (Tamil Nadu).

- Próximo a Narendra Modi -Bipin Rawat, considerado próximo ao primeiro-ministro Narendra Modi, é o primeiro comandante do Estado-Maior da Índia, cargo criado pelo governo em 2019.

Rawat vem de uma família com uma tradição militar de várias gerações a serviço do exército indiano.

Ele entrou para o exército em 1978 e comandou as forças na parte indiana da Caxemira e ao longo da "Linha de Controle Real" na fronteira com a China.

Também lutou contra os insurgentes do nordeste da Índia e supervisionou uma operação de contra-insurgência na fronteira com Mianmar.

Entre 2017 e 2019 foi o comandante do exército. E foi promovido, segundo analistas, para melhorar a coordenação entre as Forças Armadas.

O secretário de Defesa americano, Lloyd Austin, referiu-se a Rawat como um "amigo e parceiro dos Estados Unidos", que "participou em grande medida da construção da colaboração no âmbito da Defesa" entre os Estados Unidos e a Índia.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, expressou por sua vez "suas condolências às famílias das vítimas, ao povo e ao governo indiano", através de seu porta-voz, Stephane Dujarric, que lembrou que Rawat havia chefiado a missão dos capacetes azuis na República Democrática do Congo em 2008 e 2009.

O helicóptero russo modelo Mi-17, envolvido no acidente, entrou em serviço na década de 1970 e é utilizado por exércitos de todo o mundo, mas sofreu diversos acidentes nos últimos anos.

O mais recente aconteceu em novembro, quando 14 pessoas morreram na queda de um aparelho deste modelo do exército do Azerbaijão.

bur-gle/slb/lth/pz/bl/es/fp/mvv