PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
4 meses

Autoridades desintegram caravana de migrantes no sul do México

21/01/2022 19h19

Tuxtla Gutiérrez, México, 21 Jan 2022 (AFP) - Autoridades mexicanas desintegraram nesta sexta-feira (21) uma caravana de migrantes que havia partido na noite anterior da cidade de Tapachula, no estado de Chiapas, no sul do país, com a intenção de chegar à fronteira norte do México, informou o governo.

O contingente, que incluía centro-americanos, venezuelanos e haitianos, foi surpreendido por agentes de imigração e da Guarda Nacional por volta das 05h00 locais (08h00 no horário de Brasília), em uma propriedade perto de uma rodovia enquanto dormiam, indicaram fontes oficiais.

Em uma primeira ação, os agentes identificaram um grupo de 281 migrantes, enquanto numa ação paralela nas estradas secundárias do perímetro foi localizado um segundo grupo de 38 estrangeiros, detalhou o Instituto Nacional de Migração (INM) em comunicado.

Os migrantes, que avançaram apenas 15 km, participaram na quinta-feira de uma marcha pelas ruas centrais de Tapachula exigindo que as autoridades lhes permitam viajar livremente para os Estados Unidos.

O ativista Luis García Villagrán, organizador dessas caravanas, culpou o INM por causar o êxodo ao não resolver a tempo os procedimentos dos estrangeiros, que buscam regularizar sua situação imigratória no México.

"Golpearam e colocaram mulheres e crianças nos ônibus", disse à AFP, condenando a operação de segurança.

Os detidos foram transferidos para os gabinetes migratórios da entidade, onde é analisada a sua situação, enquanto os que viajavam em família ficaram sob a tutela das autoridades de assistência social, detalhou o INM.

O governo mexicano reforçou as operações para combater o fluxo irregular de migrantes que, em sua jornada pelo país, enfrentam inúmeros perigos, como perseguição por criminosos, além dos traficantes de pessoas que os transportam em condições subumanas.

Em 9 de dezembro, um trailer que transportava 160 imigrantes irregulares colidiu com uma ponte de pedestres em uma rodovia em Chiapas (sul), deixando 56 mortos, a maioria guatemaltecos.

Mais de 190.000 pessoas sem documentos foram localizadas no México entre janeiro e setembro de 2021, o triplo do número de 2020. Cerca de 74.300 foram deportados.

str/jla/ll/ap