PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
4 meses

Hong Kong confina milhares de pessoas de um bloco de apartamentos

21/01/2022 13h08

Hong Kong, 21 Jan 2022 (AFP) - As autoridades de Hong Kong vão confinar cerca de 3.000 pessoas em um bloco de apartamentos por cinco dias, informaram nesta sexta-feira (21), enquanto lutam para conter um surto da nova variante ômicron.

A ordem de confinamento ocorre quando Hong Kong adere com mais força a estratégia "covid zero" da China.

Pelo menos 20 casos positivos confirmados ou preliminares foram detectados em um bloco habitacional público no bairro de Kwai Chung, disse a chefe de Saúde, Sophia Chan.

"Está claro que há um surto e a situação é preocupante", disse Chan a repórteres.

Um segurança, um faxineiro e vários moradores de andares não adjacentes foram infectados, acreditando-se que a fonte de contato seja um homem que visitou o prédio em 13 de janeiro.

"Esses focos de infecção estão se espalhando e têm um risco extremamente alto", acrescentou Chan.

De acordo com Edwin Tsui, que dirige o Centro de Proteção da Saúde, o vírus pode ter sido espalhado por um faxineiro que teve que trabalhar andar por andar.

Os quase 2.700 moradores terão que ficar em casa até 26 de janeiro e passar por testes diários.

Como a China, Hong Kong reage ao menor indício do vírus com fechamento de fronteiras, rastreamento de contatos, fechamentos seletivos e longas quarentenas.

Esta quarentena de cinco dias é a mais longa já ordenada na cidade. Anteriormente, os confinamentos em edifícios eram durante a noite e os moradores podiam sair com um teste negativo.

Pessoas positivas são transferidas para salas de isolamento e contatos próximos para um campo de quarentena do governo.

O Executivo de Hong Kong disse que fornecerá alimentos e suprimentos aos moradores afetados.

hol/jta/leg/sag/jvb/ap