PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
4 meses

Chefe da Marinha alemã renuncia após comentários controversos sobre Ucrânia

22/01/2022 18h47

Berlim, 22 Jan 2022 (AFP) - O chefe da Marinha alemã, Kay-Achim Schönbach, renunciou ao cargo após comentários controversos sobre a crise na Ucrânia, informou um porta-voz do Ministério da Defesa neste sábado (22).

O vice-almirante, que classificou como "absurda" a ideia de que a Rússia pretendia invadir a Ucrânia, deixará o cargo "com efeito imediato", disse o porta-voz à AFP.

Schönbach também disse que o presidente russo, Vladimir Putin, merecia respeito, de acordo com um vídeo gravado durante uma reunião de um centro de pesquisa em Nova Délhi nesta sexta-feira e que circula online.

"É fácil dar a [Putin] o respeito que ele quer, e que provavelmente também merece", declarou Schönbach.

O vice-almirante também argumentou que a península da Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, "já se foi e não voltará" a estar sob soberania da Ucrânia.

O oficial fez um 'mea culpa' à tarde, descrevendo suas declarações como "imprudentes". "Não há necessidade de objetar: isso foi claramente um erro", escreveu no Twitter.

No entanto, em um comunicado divulgado na noite deste sábado, Schönbach explicou que havia apresentado sua renúncia para "evitar maiores danos à Marinha alemã e, acima de tudo, à República Federal da Alemanha".

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia convocou a embaixadora alemã, Anka Feldhusen, à tarde, depois de chamar os comentários do vice-almirante de "absolutamente inaceitáveis".

As declarações de Schönbach ocorrem em meio à crise russo-ocidental sobre a Ucrânia.

Ambos os lados estão fazendo intensos esforços diplomáticos para evitar que a situação se agrave, enquanto dezenas de milhares de soldados russos permanecem concentrados na fronteira ucraniana.

ilp/fjb/sag/js/am