PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Juiz ordena deportação de mexicano em situação ilegal que morava há 25 anos nos EUA

Juan, de 48 anos, chegou aos Estados Unidos em 1996 - Brad Greeff/Getty Images/iStockphoto
Juan, de 48 anos, chegou aos Estados Unidos em 1996 Imagem: Brad Greeff/Getty Images/iStockphoto

Da AFP

28/01/2022 06h50Atualizada em 28/01/2022 08h05

Um juiz ordenou nesta quinta-feira (28) a deportação de Juan Reyna, um mexicano que vive há 25 anos nos Estados Unidos em condição ilegal — anunciou sua equipe de defesa.

"Hoje se ordenou oficialmente a deportação de Juan Reyna", afirma Erika Andiola, chefe do escritório de defesa da ONG Raices, que assumiu a defesa legal do mexicano, em um comunicado enviado à AFP.

Juan, de 48 anos, chegou aos Estados Unidos em 1996. Agora, ele tem 30 dias para recorrer novamente desta decisão judicial. Esta última ratifica uma anterior, de 3 de dezembro, na qual um juiz ordenou sua expulsão para o México.

Juan Reyna está detido há mais de um ano em um centro do Serviço de Imigração e Alfândega (ICE, na sigla em inglês) perto de Austin, no Texas, à espera de sua deportação.

"Não sou um perigo para a sociedade. Não sou uma ameaça para este país", disse ele por telefone, recentemente, à AFP.

Reyna recebeu o apoio dos congressistas pelo estado do Texas Lloyd Doggett e Joaquín Castro para que o ICE deixe-o em liberdade, de modo que ele possa ficar com sua mulher, Guadalupe Martínez, que tem problemas de saúde, e seus dois filhos.

De acordo com as últimas disposições do governo de Joe Biden, Juan Reyna não deveria estar detido.

Em 30 de setembro, o secretário de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas, de origem cubana, instruiu as autoridades de imigração e policiais a se concentrarem na expulsão de pessoas suspeitas de terrorismo, que tenham cometido crimes graves, ou que tenham cruzado a fronteira, recentemente, de forma ilegal.

Internacional