PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Mulher é perseguida e vaiada pelas ruas após sofrer abusos em Nova Délhi

Vítima contou que foi sequestrada antes de ser estuprada por vários homens e menores  - Reprodução/Twitter/@NidhiSuresh_
Vítima contou que foi sequestrada antes de ser estuprada por vários homens e menores Imagem: Reprodução/Twitter/@NidhiSuresh_

28/01/2022 12h18Atualizada em 28/01/2022 13h46

Onze pessoas, incluindo várias mulheres, foram presas depois que uma jovem mãe foi supostamente sequestrada, estuprada e depois carregada pelas ruas de Délhi em plena luz do dia, disse a polícia indiana nesta sexta-feira (28).

O incidente, o mais recente a expor a violência sexual na Índia, gerou grande condenação, inclusive da Comissão de Mulheres de Déli e do ministro-chefe da cidade, que o chamou de "vergonhoso".

As imagens divulgadas nas redes sociais, que não puderam ser verificadas de forma independente, mostram a vítima - com o rosto pintado com tinta e o cabelo cortado - sendo empurrada e vaiada por várias mulheres enquanto os espectadores a aplaudem e filmam a cena com seus celulares.

R. Sathiyasundaram, subchefe de polícia, disse que o incidente de quarta-feira no distrito de Shahdara, no leste de Déli, foi resultado de um "conflito anterior" entre vizinhos.

Ele não deu mais detalhes, mas relatos da mídia afirmam que um parente dos agressores se suicidou, aos 16 anos, se jogando na frente de um trem depois que a mulher casada de 21 anos rejeitou suas investidas.

"Os 11 detidos, incluindo dois menores, que não podem ser julgados como adultos, pertencem à mesma família e os vídeos mostram claramente que as mulheres estavam à frente", disse Sathiyasundaram à AFP.

A vítima contou à polícia que foi sequestrada por membros da família antes de ser estuprada por vários homens e menores - incitados pelas mulheres - e depois espancada com paus e levada para fora.

"Estamos examinando os vídeos para identificar outros envolvidos e haverá mais prisões", disse à AFP Chinmay Biswal, da polícia de Déli.

A mulher, que tem um filho de dois anos, está recebendo atendimento após o incidente, que teria ocorrido a apenas 50 metros de uma cabine policial que estava vazia no momento.

bb/stu/axn/mab/eg/jc

Internacional