PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
3 meses

Universidade de Hong Kong esconde homenagem às vitimas do massacre da Praça da Paz Celestial

29/01/2022 08h39

Hong Kong, 29 Jan 2022 (AFP) - Uma universidade de Hong Kong escondeu neste sábado uma homenagem às vítimas da repressão da Praça da Paz Celestial (Tiananmen), poucas semanas depois da retirada de várias obras similares em vários centros de ensino da cidade.

Hong Kong, ao lado de Macau, era o único lugar na China que tolerava a recordação do massacre de 4 de junho de 1989 em Pequim.

Mas o governo da China passou a aplicar uma linha dura na ex-colônia britânica depois das grandes manifestações pró-democracia de 2019. Pequim impôs uma lei de segurança nacional que criminaliza praticamente qualquer tipo de dissidência.

Em dezembro, o Pilar da Vergonha, uma escultura em memória das vítimas da Praça da Paz Celestial, foi retirada da Universidade de Hong Kong (HKU).

Neste sábado, também no campus da HKU, uma grande inscrição em homenagem aos "mártires" de Tiananmen foi encoberta.

Um correspondente da AFP observou o momento em que vários funcionários cobriram o grafite, que afirmava: "O espírito heroico dos mártires massacrados a sangue frio viverá para sempre, o fogo da democracia que vence o mal nunca se apagará".

De acordo com a imprensa local, a frase foi escrita no chão pouco depois do massacre da Praça da Paz Celestial. Desde então, a cada ano, líderes estudantes voltam a pintar as palavras em sinal de luto.

Procurada pela AFP, a HKU não informou se a frase foi completamente removida.

hol/ssy/juf/roc/ia/es/an/fp