PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
2 meses

Prêmio Nobel da Paz Ramos-Horta vence eleição presidencial no Timor Leste

20/04/2022 08h56

Díli, Timor Leste, 20 Abr 2022 (AFP) - O prêmio Nobel da Paz José Ramos-Horta venceu a eleição presidencial no Timor Leste, de acordo com os resultados oficiais parciais anunciados nesta quarta-feira (20).

Ramos-Horta, que já presidiu o país entre 2007 e 2012, recebeu 62,09% dos votos no segundo turno, contra 37,91% de Francisco "Lu Olo" Guterres, de 67 anos, atual chefe de Estado do país.

O político de 72 anos já havia liderado o primeiro turno, realizado em 19 de março, com 46% dos votos, contra 22% de Guterres.

Seu mandato de cinco anos está previsto para começar em 20 de maio, data em que se comemora o 20º aniversário da independência do Timor Leste, após 24 anos de ocupação indonésia.

Neste país de 1,3 milhão de habitantes, situado na metade leste da ilha do Timor, no arquipélago indonésio, a função presidencial é, sobretudo, honorária.

Ramos-Horta prometeu que, em caso de vitória, iniciará um diálogo entre os principais partidos - Congresso Nacional para a Reconstrução do Timor Leste (CNRT) e a Frente Revolucionário por um Timor Leste Independente (Fretilin) - para acabar com a paralisação política neste pequeno país do Sudeste Asiático.

- Crise política -Guterres, um ex-guerrilheiro e líder do partido Fretilin, foi eleito presidente em 2017 com o apoio do ex-rebelde Xanana Gusmão, primeiro a comandar o país e atual dirigente do CNRT. Depois, porém, recusou-se a nomear ministros do CNRT, deflagrando uma crise política.

Este ano, Gusmão e seu partido decidiram apoiar Ramos-Horta, agraciado em 1996 com o Prêmio Nobel da Paz por sua busca de uma solução pacífica para o conflito no Timor Leste, então sob ocupação indonésia.

Ramos-Horta, que foi primeiro-ministro antes de presidir o país entre 2007 e 2012, voltou à política ativa para se opor a Guterres, a quem acusa de ter violado a Constituição.

A vida política em Timor Leste tem sido marcada pela violência. Em 2018, vários confrontos durante as eleições legislativas deixaram dezenas de feridos e, em 2006, rivalidades políticas degeneraram em um conflito aberto na capital, Díli. Dezenas de pessoas morreram.

Desta vez, a missão de observação da União Europeia (UE) considerou que a eleição presidencial transcorreu de forma satisfatória.

"As eleições foram competitivas, e a campanha foi amplamente pacífica", concluiu a missão.

Ambos os candidatos se comprometeram a respeitar o resultado das urnas.

O Timor Leste foi uma colônia portuguesa até 1975. Depois disso, sofreu uma violenta ocupação por parte da Indonésia até sua independência em 2002.

Sua economia ainda não se recuperou do impacto da pandemia da covid-19 e, de acordo com o Banco Mundial, 42% de sua população vive na pobreza.

Str-dsa/cwl/kma/roc/mav/pz/bl/zm/fp/tt