PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Varíola do macaco não é uma emergência de saúde no momento, diz OMS

Apesar de chamar atenção para "sérias preocupações" em torno da velocidade do surto atual, OMS não considerou varíola dos macacos como emergência global - iStock
Apesar de chamar atenção para 'sérias preocupações' em torno da velocidade do surto atual, OMS não considerou varíola dos macacos como emergência global Imagem: iStock

25/06/2022 17h56Atualizada em 25/06/2022 18h12

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse neste sábado (25) que o surto de varíola do macaco é uma ameaça à saúde muito preocupante, mas no momento não é uma emergência global de saúde pública.

"No momento, a situação não constitui uma emergência de saúde pública de interesse internacional, que é o nível mais alto de alerta que a OMS pode emitir", afirmou Ghebreyesus em comunicado após uma reunião de especialistas para discutir o assunto.

"O comitê de emergência compartilhou suas sérias preocupações sobre a escala e a velocidade do atual surto", acrescentou Ghebreyesus.

Os casos desta doença aumentaram desde maio para além dos países onde era endémica na África Ocidental e Central e estão especialmente concentrados na Europa Ocidental.

Até agora, 3,2 mil casos e uma morte foram detectados em cerca de 50 países diferentes, segundo a OMS.

Os sintomas da doença incluem febre, dor de cabeça, linfonodos inchados, dores musculares e falta de energia.

As erupções aparecem então no rosto, nas palmas das mãos e nas solas dos pés; lesões, pústulas e, finalmente, crostas. Geralmente a doença é curada em cerca de três semanas.