PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

"Não é suicida", defesa de Ghislaine Maxwell vai pedir adiamento de decisão

26/06/2022 15h02

Nova York, 26 Jun 2022 (AFP) - A defesa da "socialite" Ghislaine Maxwell anunciou que solicitará o adiamento da decisão prevista para esta terça-feira (28), depois que sua cliente foi transferida para a solitária por risco de suicídio, impedindo-a de se preparar para a sentença.

Em uma carta datada de 25 de junho endereçada à juíza que instrui o caso, Alison Nathan, a advogada Bobbi C. Sternhei assinala que, nesta segunda, "solicitará formalmente o adiamento" da decisão, já que sua cliente não tem permissão para "possuir nem revisar documentos legais" nem tampouco "papel e caneta", o que a "impede de se preparar para a sentença".

Além disso, lamenta que, "sem ter passado por um exame psicológico e sem justificativa", as autoridades da prisão onde Maxwell está reclusa, o Centro de Detenção Metropolitano do Brooklyn, a colocaram "sob vigilância para suicídio". Ghislane "não é suicida", garante a advogada.

A promotoria de Nova York solicitou entre 30 e 55 anos de prisão para a filha do outrora magnata da imprensa britânica Robert Maxwell, educada em Oxford, por tráfico sexual de menores em favor de seu ex-companheiro e amigo Jeffrey Epstein, que se suicidou em 2019 em uma prisão nova-iorquina quando estava prestes a sentar no banco dos réus.

A defesa de Maxwell pediu clemência ao tribunal, alegando uma infância traumática e que ela foi acusada injustamente porque Epstein "se livrou" do julgamento.

Maxwell está presa desde que foi detida em julho de 2020.

Durante o julgamento, a promotoria argumentou que Maxwell foi "peça-chave" na rede criada por Epstein para recrutar jovens para sessões de massagem, durante as quais ele se aproveitava para abusar delas.

Em uma das ramificações deste caso, o príncipe Andrew da Inglaterra, amigo de Epstein, chegou a um acordo econômico em fevereiro para encerrar uma demanda de abuso de Virginia Giuffre, que assegurou que Epstein e Maxwell a incitaram a manter relações sexuais com o príncipe quando ainda era menor de idade.

af-nr/dga/rpr