PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
1 mês

Ex-membro do poderoso serviço de segurança da Rússia assume governo de Kherson

20.mai.22 - Militares russos patrulhando a Usina Hidrelétrica de Kakhovka, Kherson Oblast, em meio à ação militar russa em andamento na Ucrânia - OLGA MALTSEVA/AFP
20.mai.22 - Militares russos patrulhando a Usina Hidrelétrica de Kakhovka, Kherson Oblast, em meio à ação militar russa em andamento na Ucrânia Imagem: OLGA MALTSEVA/AFP

05/07/2022 06h03

Um ex-funcionário do poderoso Serviço Federal de Segurança (FSB) da Rússia, a unidade de inteligência que sucedeu a KGB, assumiu nesta terça-feira (5) o governo da região ucraniana de Kherson, ocupada pelas forças de Moscou.

Sergei Eliseyev, 51 anos, que até agora era o primeiro vice-governador da região russa de Kaliningrado (noroeste), "assumiu o posto de chefe de Governo da região de Kherson", informou Vladimir Saldo, que comanda a administração da ocupação russa.

O ex-deputado ucraniano Alexei Kovalev, que passou para o lado russo, foi nomeado vice de Eliseyev, responsável pelas questões ligadas à agricultura.

"A Rússia está aqui para sempre", disse.

Desde a conquista de Kherson, Moscou iniciou uma política de "russificação". O país introduziu o uso do rublo na região, emitiu passaportes russos e abriu um banco.

Além disso, a economia está em grande parte sob controle da administração da ocupação e os críticos sofrem com a repressão.

No início da ofensiva contra a Ucrânia, o presidente russo Vladimir Putin disse que o país não ocuparia a Ucrânia.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Agora, o Kremlin afirma que os moradores das regiões devem decidir seu destino, o que dá a entender que Moscou seria favorável à organização de um referendo sobre a anexação à Rússia, como aconteceu com a Crimeia.

Nas últimas semanas, no entanto, funcionários pró-Kremlin nas zonas ocupadas foram alvos de atentados. Kovalev escapou no fim de junho de uma tentativa de assassinato.