Vírus de gripe das aves é detectado pela primeira vez na costa da Antártida

O principal vírus da gripe das aves foi detectado pela primeira vez na costa da Antártida, anunciaram pesquisadores britânicos - uma descoberta que representa um novo risco para algumas espécies endêmicas, como os pinguins. 

A presença do vírus HPAI foi confirmada entre os mandriões-antárticos (Stercorarius antarcticus) subantárticos, uma família de aves marinhas, segundo comunicado publicado na segunda-feira (23) pela British Antarctic Survey (BAS), uma organização da qual fazem parte pesquisadores britânicos que trabalham na região.

O planeta vive a pior epidemia de gripe das aves da história e muitos especialistas temiam que, cedo ou tarde, ela chegasse ao continente antártico. 

Os cientistas britânicos coletaram amostras de mandriões-antárticos encontrados mortos nas ilhas Geórgia do Sul, em alto-mar, a leste do extremo sul da América do Sul, mas que não fica estritamente no interior do continente antártico.  

Os cientistas acreditam que o vírus tenha sido levado por algumas aves da América do Sul, uma região que foi muito afetada nos últimos anos pela gripe das aves, com dezenas de milhões de aves de criação condenadas ao sacrifício.

A presenta do vírus na Antártida é uma "notícia dramática", disse Michelle Wille, especialista em gripe aviária na Universidade de Melbourne, na rede social X (antigo Twitter).

Os cientistas temem que o vírus acabe chegando ao continente gelado, ameaçando algumas variedades de pinguins que não vivem em outros locais e, portanto, nunca desenvolveram imunidade contra este patógeno.

dl/jdy/pc/mb/mvv/aa

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes