Agricultores espanhóis bloqueiam estradas perto da fronteira com a França

Agricultores da Catalunha, nordeste da Espanha, voltaram a se mobilizar nesta terça-feira (27) contra as dificuldades que o setor enfrenta e bloquearam várias estradas, incluindo alguns pontos de uma movimentada rodovia que liga a Espanha à França. 

Uma centena de tratores bloqueou a movimentada rodovia AP-7 em ambos os sentidos, perto de Pontós (Girona), no nordeste de Espanha, a cerca de 40 quilômetros da fronteira com a França.

Durante a manhã, agricultores e pecuaristas deixaram passar alguns caminhões que estavam bloqueados, mas esvaziaram parte das mercadorias de alguns que transportavam frutas e legumes de Marrocos.

"Passamos a manhã inteira esvaziando estes seis caminhões que transportavam produtos do Marrocos", explicou à AFPTV o agricultor Jordi Ginebreda.

Bloqueios também foram registrados em outras rodovias nacionais do interior dessa região de oito milhões de habitantes, assim como na autoestrada A2, que liga Madri a Barcelona. Até agora, tudo ocorreu sem maiores incidentes. 

A mobilização desta terça, que ocorre após outras convocadas nas últimas semanas, pretende centralizar seus protestos contra a "concorrência desleal de importações" de fora da União Europeia, que segundo os manifestantes "não cumprem as mesmas condições exigidas às produções agrícolas dos países membros", assim como a "redução efetiva da burocracia", segundo um comunicado emitido pelo sindicato Unió de Pagesos, um dos que convocaram as manifestações. 

Além das reivindicações comuns a todo o setor na Espanha e na Europa, os agricultores e pecuaristas catalães sofrem há mais de três anos uma seca histórica e queixam-se das restrições hídricas impostas pelas autoridades locais. 

"Temos água nos poços, mas não nos deixam irrigar sob pena de sanções", queixou-se Xavi Jofre, criador de patos.

Os agricultores catalães já deram uma demonstração de força no começo do mês, quando mil tratores marcharam por Barcelona. 

Continua após a publicidade

Assim como seus colegas em outros países europeus, que, na segunda-feira, levaram 900 tratores a Bruxelas, os agricultores espanhóis reclamam da burocracia e da complexidade das normas europeias, assim como dos preços baixos a que vendem seus produtos e da concorrência dos artigos estrangeiros, que consideram desleal. 

Desde o início do movimento, já foram recebidos várias vezes pelo ministro da Agricultura, Luis Planas, que se comprometeu a defender a nível europeu uma simplificação da Política Agrícola Comum (PAC) e a melhorar a lei espanhola da cadeia alimentar para impedir que os agricultores vendam seus produtos com prejuízo. 

bur-rs/zm/dd 

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes