Putin visita o Vietnã depois de assinar acordo de defesa com a Coreia do Norte

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, iniciou nesta quinta-feira (20) uma visita de Estado ao Vietnã, país ao qual Moscou fornece armas há décadas, um dia após assinar um acordo de defesa com a Coreia do Norte que preocupa as potências ocidentais.

O chefe de Estado russo agradeceu ao Vietnã por sua posição "equilibrada" sobre a Ucrânia em um artigo publicado no jornal do governista Partido Comunista do Vietnã (PCV). 

Rússia e Vietnã também compartilham uma interpretação "similar" da situação na região Ásia-Pacífico, acrescentou. 

Putin compareceu a uma reunião com o chefe de Estado vietnamita To Lam no palácio presidencial, durante uma cerimônia formal com direito a tiros de canhão e a presença de soldados.

O presidente russo visitou Pyongyang na quarta-feira e o dirigente norte-coreano Kim Jong Un chamou Putin de "melhor amigo" da Coreia do Norte. 

Os dois países, unidos contra o que chamam de "hegemonia" dos Estados Unidos, assinaram um acordo de "associação estratégica global", que prevê assistência mútua "em caso de agressão" e um possível fortalecimento da "cooperação técnico-militar", segundo Putin. 

Os Estados Unidos e seus aliados temem que a contínua aproximação possa resultar em novas entregas de munições e mísseis norte-coreanos à Rússia para a guerra na Ucrânia.

As ruas de Hanói foram decoradas com bandeiras da Rússia e um grande esquema de segurança foi determinado para receber Putin.

A Rússia continua vendendo grande parte das suas armas e equipamentos militares ao Vietnã, em um momento de tensão no Mar do Sul da China, onde Hanói está preocupado com os objetivos expansionistas de Pequim.

Continua após a publicidade

bur-ah/pc/zm/fp

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes