Messi disputará sua 5ª final de Copa América em sete participações

A vitória da Argentina por 2 a 0 sobre o Canadá, na terça-feira (9), nas semifinais, em East Rutherford (Nova Jersey), deixou o craque Lionel Messi pronto para disputar sua quinta final em sete participações na Copa América. 

Em seu retrospecto no torneio de seleções da Conmebol, o mais antigo do mundo, o capitão da 'Albiceleste', campeão mundial em 2022, defenderá no domingo, em Miami, o título continental conquistado no Brasil-2021. 

Nas sete participações em Copa América, Messi foi campeão em uma ocasião até o momento e perdeu as finais da Venezuela-2007, do Chile-2015 e a do Centenário-2016, nos Estados Unidos.

1. Venezuela-2007: 1ª frustração em sua estreia continental

Estreante na Copa América com apenas 20 anos de idade, Messi fez parte da 'Albiceleste' liderada em campo por Juan Román Riquelme, Javier Mascherano, Roberto Ayala e Juan Sebastián Verón, entre os de maior destaque. 

A Argentina, com Alfio Basile como técnico, chegou à final após vencer o Grupo A com vitórias sobre Estados Unidos (4-1), Colômbia (4-2) e Paraguai (1-0). Nas quartas de final eliminou o Peru (4 a 0) e despachou o México nas semis por 3 a 0. 

Na final contra o Brasil veio a decepção. A seleção brasileira, que tinha Robinho, Julio Baptista e Maicon como grandes nomes, venceu a Argentina por 3 a 0 em Maracaibo, numa partida em que Lionel Messi, que naquela época já brilhava no mundo, pouco pôde fazer nos 90 minutos. 

Messi saiu da Copa América com dois gols marcados, um contra o Peru e outro contra o México, este último considerado um dos mais brilhantes vestindo a camisa 'albiceleste' por sua execução e qualidade técnica.

2. Chile-2015: duro golpe após tristeza da Copa de 2014

Sob o comando de Gerardo 'Tata' Martino, a Argentina buscou uma alegria na Copa América-2015, no Chile, um ano depois do duro golpe sofrido ao perder a final da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, para a Alemanha. 

Continua após a publicidade

A 'Albiceleste' venceu o Grupo C, empatando em 2 a 2 com o Paraguai na estreia e vencendo Uruguai e Jamaica por 1 a 0. A Colômbia foi a vítima nas quartas de final em partida vencida nos pênaltis por 5 a 4, após um empate em 0 a 0 nos 90 minutos. Os argentinos enfrentaram novamente o Paraguai nas semifinais, mas desta vez aplicaram uma goleada de 6 a 1 na 'Albirroja'. 

Na final em Santiago, o Chile conquistou seu primeiro troféu continental graças à 'Geração de Ouro' ao vencer nos pênaltis por 4 a 1, após um empate em 0 a 0 em 120 minutos. Messi foi o único argentino que converteu sua cobrança. 

O capitão 'albiceleste' saiu desta edição com apenas um gol marcado, também de pênalti no empate em 2 a 2 com o Paraguai.

3. Centenário-2016 nos EUA: Messi renuncia à 'Albiceleste'

O Chile voltou a cruzar o caminho da Argentina na final da edição do Centenário da Copa América nos Estados Unidos, com 'La Roja' conquistando o bicampeonato continental em nova disputa de pênaltis, que venceu por 4 a 2 após outro 0 a 0 em 120 minutos. 

Messi desperdiçou sua cobrança e foi então que, abatido, anunciou ao mundo do futebol no MetLife Stadium, em East Rutherford (Nova Jersey), que estava deixando a 'Albiceleste'. 

Continua após a publicidade

"A seleção já deu para mim. Acabou. Lutei muito. Tentei. Já são quatro finais e não consegui vencê-las. Fiz tudo o que foi possível e isso é mais doloroso para mim do que para qualquer outra pessoa, mas é claro que não é para mim. Infelizmente não deu para mim", disse o camisa 10 naquela madrugada de 27 de junho de 2016. 

A Argentina, comandada por Martino, fez uma primeira fase brilhante com boas vitórias sobre Chile (2-1), Panamá (5-0) e Bolívia (3-0). Goleou a Venezuela (4 a 1) nas quartas de final e  atropelou a seleção anfitriã (4-0) nas semis. 

Messi se destacou nessa Copa América com cinco gols - um 'hat-trick' contra o Panamá e um golaço de falta contra os Estados Unidos - além de quatro assistências, mas o pênalti perdido na final manchou sua brilhante atuação no torneio.

4. Brasil-2021: Argentina e Messi campeões da América

Em meio a um silêncio avassalador nos estádios, sem presença de público por conta da pandemia, a Argentina se sagrou campeã da Copa América do Brasil-2021 após 28 anos sem títulos, contando todas as grandes competições. E fez isso em pleno Maracanã e contra o Brasil, seu arquirrival, com uma vitória por 1 a 0, dando início a uma das fases mais gloriosas do futebol argentino, com o tão aguardado primeiro título de Messi pela seleção principal. 

A Argentina, comandada por Lionel Scaloni, venceu o Grupo A com vitórias sobre Uruguai (1 a 0), Paraguai (1 a 0), Bolívia (4 a 1) e um empate (1 a 1) com o Chile na estreia. Nas quartas de final eliminou o Equador (3 a 0) e, nas semis, venceu a Colômbia na disputa de pênaltis por 3 a 2, após um empate em 1 a 1 nos 90 minutos.

Continua após a publicidade

Messi dividiu com o colombiano Luis Díaz a artilharia da Copa América-2021 com 4 gols e deu o maior número de de assistências, com 5.

cl/ol/aam/rpr

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes