Ucrânia pode usar mísseis do Reino Unido para atacar a Rússia, diz primeiro-ministro britânico

O primeiro-ministro britânico, Keir Starmer, indicou, nesta quarta-feira (10) que a Ucrânia pode usar mísseis de longo alcance fornecidos pelo Reino Unido para atacar alvos militares na Rússia.

Starmer disse aos repórteres no seu voo para Washington - para a conferência do 75º aniversário da Otan - que as decisões sobre a utilização de mísseis Storm Shadow, fornecidos pela Grã-Bretanha, são da competência das forças armadas ucranianas.

A ajuda militar do Reino Unido "é para fins defensivos, mas cabe à Ucrânia decidir como distribui-la", disse Starmer, que assumiu a liderança britânica na sexta-feira (5), após uma vitória esmagadora do seu Partido Trabalhista nas eleições.

Os comentários confirmam que o Partido Trabalhista continua com a mesma postura que os governos conservadores anteriores tiveram.

A Grã-Bretanha é um dos aliados mais leais de Kiev desde que o presidente russo, Vladimir Putin, lançou uma invasão em grande escala na Ucrânia em fevereiro de 2022. Foram fornecidos dinheiro, armas e treino de tropas para a luta da Ucrânia.

Além disso, foi a primeira a fornecer armas de longo alcance aos militares ucranianos, anunciando em maio deste ano que enviaria mísseis Storm Shadow.

Starmer planejou reafirmar o apoio britânico à Ucrânia e o seu "compromisso inabalável" com a aliança militar ocidental da Otan durante a assembleia, onde deverá encontrar-se com o presidente ucraniano, Volodimir Zelensky.

pdh/phz/jxb/mab/mb/jmo

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes