Alemanha proibirá uso de componentes de empresas chinesas Huawei e ZTE em suas redes 5G

A Alemanha eliminará gradualmente o uso de componentes dos gigantes chineses das telecomunicações Huawei e ZTE em suas redes 5G por questões de segurança nacional, anunciou esta quinta-feira (11) a ministra do Interior, Nancy Faeser.

"Os componentes da Huawei e ZTE não poderão ser mais utilizados nas redes 5G até o final de 2026", declarou a ministra.

O sistema dos dois fabricantes "para as redes de transporte e acesso nas redes 5G devem ser substituídos até o final de 2029", acrescentou. 

Essa decisão, que foi adotada após uma análise profunda análise sobre a ameaça que as duas empresas podem representar à segurança alemã, é válida para todo o país, indicou Nancy Faeser. 

Com essa medida, a Alemanha pretende proteger seus locais de produção, bem como as "comunicações de nossos cidadãos e empresas em nosso país", disse o ministro.

Em junho de 2023, a Comissão Europeia - o braço executivo da UE - solicitou aos 27 países membros do bloco e às operadoras de telecomunicações que excluíssem a Huawei e a ZTE de suas redes móveis.

A Alemanha teme a dependência excessiva de Pequim e aumentou sua vigilância sobre as infraestruturas que poderiam cair nas mãos de empresas ligadas ao Estado chinês. 

"Devemos reduzir os riscos de segurança e, ao contrário do passado, evitar a dependência unilateral", disse Faeser.

O Ministério disse que as redes 5G fazem parte da "infraestrutura crítica" da Alemanha e são importantes para o funcionamento de setores como saúde, transporte e energia.

Continua após a publicidade

A China e a Alemanha, segunda e terceira maiores economias do mundo, respectivamente, há muito tempo mantêm laços econômicos estreitos. 

Mas Berlim está tentando reduzir sua dependência econômica da China, principalmente depois que a guerra na Ucrânia e a subsequente crise energética revelaram uma dependência excessiva da Rússia.

sr/hmn/cw/zm/sag/avl/dd

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes